REFLEXÃO SOBRE AS RELAÇÕES SOCIAIS E OS FATORES QUE INTERFEREM NOS PROCESSOS DE INTEGRAÇÃO DE CRIANÇAS EM IDADE PRÉ-ESCOLAR

  • VANESSA CARDOSO PAVIOTTI PREFEITURA MUNICIPAL DE CAPIVARI - E.M.PROFª.MARIA ROSA LEMBO DUARTE
  • CARLOS ROBERTO PAVIOTTI IFSP
Palavras-chave: Integração, Educação Sociocomunitária, Idade Pré-escolar, Educação Infantil, Relações sociais

Resumo

O objetivo deste artigo consiste em demonstrar o resultado da pesquisa cujo foco abordou as relações sociais na Educação Infantil consistindo em identificar os fatores relevantes que podem vir a interferir nas relações sociais de crianças em idade pré-escolar na perspectiva da Educação Sociocomunitária, visto que, é no estágio do personalismo - que se inicia dos três até os seis anos conforme estudos de Wallon e mencionado por Dantas (1992) - que compreende o estágio de formação da personalidade, envolvendo a construção da consciência de si e que se desenvolve através das relações sociais e, assim, busca superar os desafios de se relacionarem com indivíduos que vão além do seu convívio familiar. Tal pesquisa contou com uma revisão bibliográfica e utilizou a abordagem qualitativo-quantitativa de campo/empírica em duas escolas pertencentes à rede municipal de educação da cidade de Capivari/SP, tendo em vista que a mesma permitiu a integração na realidade social/cultural das crianças e demais envolvidos neste processo, permitindo assim conhecê-las em profundidade. Os principais resultados apontam que, entre os fatores que interferem na integração da criança na escola, estão a insegurança dos responsáveis e a carência de estímulos para o desenvolvimento da criança. Com relação aos fatores que possam vir a possibilitar o processo de integração desta criança, observa-se: a brincadeira no desenvolvimento da criança, prover espaços de diálogos, como rodas de conversa e proporcionar ambiente estimulante para desenvolvimento e convivência (curiosidade e a imaginação).

Publicado
2020-08-27
Seção
Ciências Humanas e Sociais