Proposições ideológicas no discurso de uma estudante com TEA

  • Rosana Kelly Baldan Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Palavras-chave: Análise do discurso, Ideologia, Memória discursiva, Sujeito

Resumo

Neste artigo vou discutir os conceitos de ideologia e memória discursiva a partir da Análise de Discurso de Michel Pechêux, no discurso de uma estudante com TEA do 3º ano do ensino fundamental I. Trarei um recorte de uma aula de atendimento educacional especializado e, através das proposições feitas pela aluna, realizarei uma análise discursiva a partir teoria Pêcheux sobre o sujeito como sendo “social, ideológico e interpelado pelo inconsciente”.

Biografia do Autor

Rosana Kelly Baldan, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)

Mestranda em Educação pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)

Referências

Althusser, L. (2001). Aparelhos ideológicos de estado. (8a ed.), Rio de Janeiro: Graal

American Psychiatric Association (2014). DSM 5: manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. (5a ed.), Porto Alegre: Artmed.

Baldan, R. K. (2020). Adequação e flexibilização curricular: uma construção colaborativa possível. Revista Educacional Maya, 8(8), 17-25.

Brandão, H. H. N. (2006). Introdução à análise do discurso. (2a ed.). Campinas, SP: Ed. UNICAMP.

Brasil (2014). Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Ministério da Educação.

Cruz, F. M. (2018). O adeus de Augusto: as interações entre crianças autistas e a emergência de uma pesquisadora-artista em estado de presença próxima. Veredas Temáticas: autoetnografia em estudos da linguagem e áreas interdisciplinares, 22(1), 130-149.

Goffman, E. (1988). Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Rio de Janeiro: Guanabara.

KLin, A. (2006). Autismo e síndrome de Asperger: uma visão geral. Rev. Bras. Psiquiatr. 28(1), 3-11.

Maldidier, D. (2003). A inquietação do discurso. (E. Orlandi, Trad.), Campinas, SP: Pontes.

Orlandi, E. (1986). A análise do discurso: Algumas observações. D.E.L.T.A., 2(1), 105-126.

Orrú, S. E. (2016). Aprendizes com autismos: aprendizagem por eixos de interesse em espaços não excludentes. Petrópolis: Vozes.

Orrú, S. E. (2017). O re-inventar da inclusão: os desafios da diferença no processo de ensinar e aprender. Petrópolis: Vozes.

Pêcheux, M. (1988). Discurso e ideologia. In M. Pêcheux (Org.). Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas, SP: Ed. Unicamp, 142-185

Pêcheux, M. (1997). Análise automática do discurso. In F. Gadet & T. Hak (Orgs.). Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Campinas: Ed. Unicamp, pp. 61-161.

Santos, S. S. B. (2013). Pêcheux. In L. A. Oliveira (Org.). Estudos do discurso. (1a ed.), São Paulo: Parábola, 209-233.

São Paulo (2020). Trilhas de Aprendizagens 3º Ano, 2, Coordenadoria pedagógica, Secretaria Municipal de Educação, SÃO PAULO: SME/COPED, 159-164.

Publicado
2021-03-08