O palhaço, de Selton Mello, e a discussão do eu frente à construção da narrativa do sujeito

Palavras-chave: Identidade; Narrativa fílmica; Cinema brasileiro.

Resumo

O presente estudo aborda uma reflexão sobre as possibilidades que o cinema traz na discussão acerca da identidade do sujeito. As identidades, ao longo de um processo evolutivo, mostraram-se instáveis, visto a evolução do mundo e as inúmeras possibilidades que ele trouxe. Observada tais proposições, tomou-se como escopo de análise o filme brasileiro O Palhaço (2011), de Selton Mello. A narrativa fílmica conta a história de Benjamin, um palhaço circense que, descontente com seu modo de vida e sem se encontrar como alguém da sociedade, busca uma nova identidade. Essa busca, no filme, é representada pela sua saída da trupe circense, pela expedição do documento físico de identidade e pelo anseio em comprar um ventilador. É nesse envolto que o trabalho discute as relações de construção de identidade do sujeito, pautado, principalmente, nos apontamentos de Bauman (2005) e Hall (2005; 2008).

Biografia do Autor

Vanessa Silva Andrade, Universidade Federal de Goiás (UFG)

Graduanda em Artes Visuais pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Docente no Colégio Lassale (CLG).

Renato de Oliveira Dering, Centro Universitário de Goiás (Uni-ANHANGUERA)

Doutorando em Letras e Linguística pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Docente no Centro Universitário de Goiás (Uni-ANHANGUERA). Líder do Grupo de Pesquisas FORPROLL/CNPq.

Referências

ALMEIDA, M. J. A educação visual da memória: imagens agentes do cinema e da televisão. Pro-Posições. v.10, n. 2 (29), jul/1999.
ANDRADE, V. S; DERING, R. O. Perspectivas de História e ficção: uma leitura do filme as Melhores coisas do mundo. Revista Litteris, n.11, mar/jun, 2013.
BAUMAN, Z. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005
CAMPOS, R. Imagem e tecnologia visual em pesquisa social: tendências e desafios. In MARTINS, R.; TOURINHO, I. (Orgs.). Processo e práticas de pesquisa em cultura visual e educação. Santa Maria: Editora da UFSM, 2013.
CARRIÉRE, J. C. A linguagem secreta do cinema. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015.
CHARTIER, R. A história ou a leitura do tempo. Trad. Cristina. Antunes. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2010.
DERING, R. O.; FILETTI, E. As novas mídias e as práticas educativas: literatura e cinema em ambiente escolar. Revista de Letras da UNIABEU, Nilópolis, v.4, n.2, 2013, pp. 246-257.
DUARTE, R. Cinema e educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.
FERRO, M. Cinema e História. São Paulo: Paz e Terra, 2010.
GONZÁLES, M. I.; GROSSO, M. Instrumentos de la crítica narrativa: una introducción al análisis de textos literarios. Buenos Aires: Colihue, 2013.
HALL, S. Identidade cultural na pós-modernidade. São Paulo: Empório do Livro, 2005.
_______. Quem precisa da identidade? In: SILVA, T. T. (Org.) Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis/RJ: Vozes, 2008.
HOBSBAWM, E. J: Era dos extremos: o breve século XX. São Paulo: Cia Letras, 1999.
MELLO, S. O palhaço. Direção: Selton Mello. Produção: Vania Catani Bananeira Filmes. Roteiro: Selton Mello e Marcelo Vindicatto. Rio de Janeiro: Globo Filmes. 1 DVD (90 min), Widescreen, Color. Produzido por Globo Filmes, Distribuído por Imagem Filmes. 2011.
MOITA-LOPES, L. P. Socioconstrucionismo: discurso e identidades sociais. In: MOITA-LOPES, L. P. (Org.) Discursos de identidades: discurso como espaço de construção de gênero, sexualidade, raça, idade e profissão na escola e na família. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2003.
MONTES, S. S. A identidade do sujeito na pós-modernidade: algumas reflexões. Revista Fórum Identidades. Itabaiana, ano 6, v. 12, jul/dez, 2012, pp.162-167.
SANTOS; G. C.; DERING, R. O. O cinema como produtor de conhecimento em sala de aula. In. Skrsypcsak, D.; Schütz, J. A. Debates contemporâneos em educação. São Paulo: Dialogar, 2018.
STAM, R. A literatura através do cinema: realismo, magia e a arte da adaptação. Trad. Marie-Anne Kremer e Glaucia Renato Gonçalves. Belo Horizonte: UFMG, 2008.
TURNER, G. Cinema como prática social. São Paulo: Summus, 1997.
Publicado
2019-07-12