Um estudo contrastivo de considerações finais de dissertações de mestrado escritas por pesquisadores da cultura (inter)disciplinar em História e Letras

Palavras-chave: Dissertação de mestrado; Seção de considerações finais; História e Letras; Análise Sociorretórica.

Resumo

Este estudo objetiva analisar as práticas discursivas e os movimentos retóricos de seções de considerações finais de dissertações de mestrado, na perspectiva retórico-analítica, das poucas pesquisas realizadas sobre dissertações e teses, focando nas seções de introdução e discussão (DUDLEY-EVANS, 1986, 1994) e na macroestrutura de conclusões de teses (BUNTON, 2005; ARAÚJO, 1996, 2006) à luz da sociorretórica de John Swales (1990, 2004). Para tanto, está embasado metodologicamente, em uma retórica contrastiva (CARVALHO, 2005), visando aplicar o modelo de Araújo (2006) para conclusões de teses, entre outros modelos para artigos de graduados em Letras. A análise do corpus nos permitiu descrever e analisar a configuração retórica de 10 considerações finais oriundas de dissertações da área de História e Letras, evidenciando, portanto, as práticas discursivas usadas por esses pesquisadores na produção escrita do gênero dissertação de mestrado na cultura do saber (inter)disciplinar.

Biografia do Autor

Francisco Jeimes de Oliveira Paiva, Secretaria da Educação do Estado do Ceará (SEDUC/CE)

Mestre em História e Letras pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras (FECLESC/UECE). Docente da SEDUC/CE. Pesquisador nos Grupos de Pesquisas PRAGENTEFORTE e Escola de Estudos Críticos (IFCE, UFC, UECE e UNILAB).

Referências

ALMEIDA, P. R.; ABREU, L. E.; VARELLA, M. D. O que se espera de uma dissertação de mestrado? Disponível em https://www.uniceub.br/arquivo/86ng_20190128114649*pdf?AID=2442. Acesso em 04 fev. 2019.
ARAÚJO, A. D. Lexical signalling: a study of unspecific-nouns in book reviews. 1996. 250f. Tese (Doutorado em Linguística). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1996.
__________. Práticas discursivas em conclusões de teses de doutorado. Revista Linguagem em (Dis)curso, volume 6, número 3, set./dez. 2006.
ARAUJO, A. C. M. Análise contrastiva dos movimentos retóricos do gênero prefácio em livros de química e linguística. Littera Online, v. 7, n. 12, 2016.
ASKEHAVE, I.; NIELSEN, A. E. Web-mediated genres: a challenge to traditional genre theory. Working Papers, n. 6, 2004, pp. 1-50.
__________.; SWALES, J. M. Genre indentification and communicative purpose: a problem and a possible solution. Applied Linguistics, v. 22, n. 2, 2001, pp. 195-212.
BAWARSHI, A. S.; REIFF, M. J. Gênero: história, teoria, pesquisa, ensino. Trad. Benedito Gomes Bezerra. São Paulo: Parábola, 2013.
BARTON, D.; HAMILTON, M. Local Literacy: reading and writing in one community. London: Routledge, 1998.
BAZERMAN, C. Speech acts, genres, and activity systems: how texts organize activity and people. In: BAZERMAN, C.; PRIOR, P. (Orgs.). What writing does and how it does it: an introduction to analizing texts and textual practices. Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum Associates, 2004.
__________. Gênero, agência e escrita. 2. ed. São Paulo, Cortez, 2006.
__________; HOFFNAGEL, J. C.; DIONÍSIO, A. P. (Orgs.). Gêneros textuais, tipificação e interação. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2009.
__________. Gêneros textuais, tipificação e interação. 2. ed. São Paulo, Cortez, 2011.
__________. Teoria da ação letrada. São Paulo: Parábola, 2015a.
__________. Retórica da ação letrada. Trad. Adail Sobral, Angela Dionisio, Judith Chambliss Hoffnagel e Pietra Acunha). São Paulo: Parábola Editorial, 2015b.
BERNARDINO, C. G.; ABREU, N. O. A unidade retórica de Metodologia em artigos empíricos da cultura disciplinar da área de Psicologia: uma investigação sociorretórica. Rev. bras. linguist. apl., Belo Horizonte, v. 18, n. 4, dez.  2018, pp. 887-918.
__________.; VALENTIM, D. L. O gênero artigo acadêmico e a cultura disciplinar da área do direito: as primícias de uma análise sociorretórica. RevLet – Revista Virtual de Letras, v. 08, nº 02, ago./dez, 2016.
__________.; PACHECO, J. T. S. Uma análise sociorretórica de Introduções em artigos originais da cultura disciplinar da área de Nutrição. Fórum Linguístico, Florianópolis, v. 14, n. 1, mar. 2017, pp. 1749-1766.
BEZERRA, B. G. Gêneros no contexto brasileiro: questões [meta]teóricas e conceituais. São Paulo: Parábola Editorial, 2017.
__________. Gêneros introdutórios em livros acadêmicos. 256f. Tese de Doutorado em Linguística. Pernambuco: Universidade Federal de Pernambuco, 2006.
BHATIA, V. K. Analysing genre: language use in professional settings. London: Longman, 1993.
BIASI-RODRIGUES, B.; HEMAIS, B.; ARAÚJO, J. C. Análise de gêneros na abordagem de Swales: princípios teóricos e metodológicos. In: BIASI-RODRIGUES, B.; ARAÚJO, J. C.; SOUSA, S. T. (Org.). Gêneros textuais e comunidades discursivas: um diálogo com John Swales. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.
__________.; BEZERRA, B. G. Propósito comunicativo em análise de gêneros. Ling. (dis)curso, Tubarão, v. 12, n. 1, Apr.  2012, pp. 231-249.
__________. Estratégias de condução de informações em resumos de dissertações. 1998. 211f. Tese (Doutorado em Linguística). Universidade Federal de Santa Catarina, 1998.
__________. Tratamento dos gêneros textuais na escola – Universidade Aberta do Nordeste – Formação continuada de professores da rede pública. (Encarte do Jornal O Povo), [s.d.].
BUNTON, D. The structure of PHD conclusion chapters. Journal of English for academic purposes, n. 4, 2005, pp. 207-224.
__________. The use of higher level metatext in Ph.D theses. English for specific purposes, n. 18, 1999, pp. 41-56.
CARVALHO, G. de. Gênero como ação social em Miller e Bazerman: o conceito, uma sugestão metodológica e um exemplo de aplicação. 130-149. In: MEURER, J. L. BONINI et al. (orgs.). Gêneros: teorias, métodos, debates. São Paulo: Parábola Editorial, 2005.
CHIZZOTTI, A. A pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais: evolução e desafios. Revista Portuguesa de Educação, Braga, v. 16, n. 2, 2003, pp. 221-236.
COSTA, R. L. S. Culturas disciplinares e artigos acadêmicos experimentais: um estudo comparativo da descrição sociorretórica. 242f. Dissertação de Mestrado em Linguística Aplicada. Programa de Pós-Graduação em LA, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2015.
DUDLEY-EVANS, T. Genre analysis: an investigation of the introduction and discussions sections of MSc dissertations. In: COULTHARD, M. (Ed.). Talking about text. Birmingham: English Language Research, 1986. pp. 128-145.
FACHIN, O. Fundamentos de metodologia. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 2003.
HEMAIS, B.; BIASI-RODRIGUES, B. Princípios teóricos metodológicos para análise de gêneros na perspectiva de J. M. Swales. In: MEURER, V. L.; BONINI, A.; MOTA-ROTH, D. Gênero: teorias métodos e debates. São Paulo: Parábola, 2005.
HYLAND, K. Disciplinary discourse: social interactions in academic writing. Singapura: Pearson Education Limited, 2000.
GHAZANFARI. M.; MOHTASHAM, N. H.; AMIRSHEIBANI, M. Genre Analysis of Nursing and ELT Academic Written Discourse. Journal of Language Teaching and Research, Vol. 7, No. 5, September 2016, pp. 973-978.
LAKATOS, E. M.; MARCONI, L. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2001.
MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONÍSIO, A. P.; MACHADO, A. R.; BEZERRA, M. A. (Orgs.). Gêneros textuais e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002.

MILLER, C. R. Gênero textual, agência e tecnologia. In: DIONÍSIO, A. P.; HOFFNAGEL, J. C. (Orgs.). Tradução de Judith Hoffnagel. São Paulo: Parábola Editorial, 2012.
__________. Gênero como ação social. In: DIONÍSIO, A. P.; HOFFNAGEL, J. C. (Orgs.). Gênero tex­tual, agência e tecnologia. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2009a, pp. 21-44.
__________. Comunidade retórica: a base cultural dos gêneros. In: DIONÍSIO, A. P.; HOFFNAGEL, J. C. (Orgs.). Gênero tex­tual, agência e tecnologia. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2009b, pp. 45-58.
MOTTA-ROTH, D. A construção social do gênero resenha acadêmica. In: MEURER, J. L. & __________. (Orgs.). Gêneros textuais: subsídios para o ensino da linguagem. Bauru: EDUSC, 2002.
MUNIZ-OLIVEIRA, S.; BARRICELLI, E. Uma análise do gênero dissertação de mestrado: o modelo didático. Raído, Dourados, MS, v. 3, n. 6, jul./dez. 2009, pp. 85-93.
NWOGU, K. N. The Medical research paper: structure and functions. English for Specific Purposes, Washington, v. 16, n. 2, 1997, pp. 119-138.
OLIVEIRA, F. V. A. A organização retórica da seção de considerações finais do gênero monografia em comunidades disciplinares distintas. 123f. Dissertação de Mestrado em Letras, Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2016.
OLIVEIRA, A. C. A. de. Memorial acadêmico: contexto comunicativo-situacional de produção e organização retórica do gênero. 184f. Dissertação de Mestrado em Linguística. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará, 2005.
PAIVA, F. J. Artigo acadêmico experimental: uma análise da experiência de escrita de alunos iniciantes do Curso de Letras da UECE, campus Limoeiro do Norte (FAFIDAM). 166f. Monografia de Licenciatura Plena em Língua Portuguesa e suas respectivas Literaturas. Limoeiro do Norte-CE: Faculdade de Filosofia Dom Aureliano Matos, UECE, 2011.
__________.; DUARTE, A. L. M. Uma análise do artigo acadêmico experimental: as práticas discursivas e as experiências de escrita de alunos iniciantes do curso de letras. Mosaico (Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas – UNESP), São José do Rio Preto, SP – Brasil, 2017.
__________. Um estudo retórico de seções de análise e discussão de resultados em artigos acadêmicos escritos por estudantes do curso de letras. Lingu@ Nostr@ - Revista Virtual de Estudos de Gramática e Linguística do Curso de Letras da Faculdade de Tecnologia IPUC – FATIPUC, v. 6. N. 1, jan.-jul.2018c, pp. 113-133.
__________.; DUARTE, A. L. M. Uma organização retórica da seção de metodologia em artigos acadêmicos escritos por estudantes do curso de letras na perspectiva dos estudos linguísticos. Form@re. Revista do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica. Universidade Federal do Piauí, v.6, n. 1, jan. / jun. 2018b, pp.102-123.
__________.; DUARTE, A. L. M. Uma análise sociorretórica de seções de conclusão de artigos acadêmicos na perspectiva dos estudos linguísticos. Revista (Entre Parênteses), Número 7, Volume 1, 2018a.
__________. Configuração verbo-visual e estratégias de recontextualização em propostas de redação do Enem. 250f. Dissertação de Mestrado Interdisciplinar em História e Letras, Universidade Estadual do Ceará, Faculdade de Educação, Ciências e Letras do Sertão Central/FECLESC, Quixadá/CE, 2019.
PACHECO, J. T. S.; BERNARDINO, C. G.; FREITAS, T. L. de. Um estudo sociorretórico da seção de Conclusão em artigos originais da cultura disciplinar da área de Nutrição. Entrepalavras, Fortaleza, v. 8, jan./abr. 2018, pp. 119-139.
RAUEN, F. J. Elementos de iniciação à pesquisa: incluem orientações para a referenciação de documentos eletrônicos. Rio do Sul: Nova Era, 1999.
RUIZ, J. Á. Metodologia científica: guia para eficiência nos estudos. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2006.
SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 20. ed. São Paulo: Cortez, 1996.
SWALES, J. M. Genre analysis: English in academic and research settings. Cambridge: University Press, 1990.
__________. Re-thinking genre: another look at discourse community effects comunicação apresentada em Re-thinking Genre Colloquium, Ottawa: Carleton University, 1992.
__________. Genre and engagement. Revue belge de philology et d´historie, v. 71, 1993, pp. 687-698.
__________. Other floors, other voices: a textography of a small university building. Mahwah, N.J.Lawrence Erbaum, 1998.
__________. Research genres: explorations and applications. Cambridge: Cambridge University Press, 2004.
__________. the function of one type participle in a chemistry text. In: BIASI-RODRIGUES, B.; ARAÚJO, J.C.; SOUSA, S.C.T. de. (Orgs). Gêneros textuais e comunidades discursivas: um diálogo com John Swales. Belo Horizonte: Autentica Editora, 2009a.
__________. Identificação de gênero e propósito comunicativo: um problema e uma possível solução. In: BEZERRA, B. G.; BIASI-RODRIGUES, B.; CAVALCANTE, M. M. (Org.). Gêneros e sequências textuais. Recife: Edupe, 2009b.
Publicado
2019-07-12