A translinguagem no ensino de uma língua de herança

Estratégia para contextos de línguas em contato

  • Andresa Sartor-Harada Universidad Internacional de La Rioja
  • Juliana Azevedo Gomes Universidad Internacional de La Rioja
Palavras-chave: Português como língua de herança, Didática, Translinguagem, Linguística Aplicada

Resumo

A língua de herança é a língua aprendida no âmbito familiar e que possui um caráter de língua minoritária no país de residência. Essa peculiaridade define a língua de herança como uma modalidade linguística que vincula idioma, cultura e identidade.  O movimento em prol do português de variante brasileira na modalidade “de herança” nasceu ao final dos anos 80 e segue sendo um fenômeno em expansão. Considerando que o ensino é realizado majoritariamente em contextos de educação não formal, atualmente, pesquisadores debruçam-se em determinar as melhores diretrizes curriculares e as estratégias didáticas para o ensino do português em contextos de línguas em contato. Dentro de um paradigma educativo contemporâneo, este artigo apresenta uma proposta para o ensino do português como língua de herança com base na translinguagem. A Translinguagem é uma teoria linguística dinâmica, que considera os diferentes repertórios linguísticos e culturais dos alunos. A proposta de utilizar estratégias de translinguagem nesta modalidade se justifica pela diversidade linguística e cultural dos falantes de herança e pela necessidade de facilitar, através do ensino da língua de herança, a construção de uma identidade híbrida. Adicionalmente, as estratégias com base nessa teoria linguística são flexíveis e permitem realizar adaptações em consonância com as especificidades dos falantes de herança e a heterogeneidade do grupo.

Biografia do Autor

Andresa Sartor-Harada, Universidad Internacional de La Rioja

Doutora em Educação, professora e pesquisadora da Universidad Internacional de La Rioja

Juliana Azevedo Gomes, Universidad Internacional de La Rioja

Doutora em Didática, professora e pesquisadora da Universidad Internacional de La Rioja

Referências

ABOUREHAB, Yousra. & AZAZ, Mahmoud. 2020. Pedagogical translanguaging in community/heritage Arabic language learning. Journal of Multilingual and Multicultural Development, 41.10. 1-14.

ANDRADE, Ana Isabel. ARAÚJO E SÁ, Maria Helena. & MOREIRA, Gillian. 2007. Imagens das línguas e do plurilinguismo: princípios e sugestões de intervenção educativa. Cadernos do LALE, Série propostas, 4.1-57.

AZEVEDO-GOMES, Juliana.2017. Portugués como Lengua de Herencia en un contexto de lenguas hermanas: el caso de los hijos brasileños que viven en Barcelona. Tesis Doctoral. Universitat de Barcelona.

________ 2019. La enseñanza del portugués como lengua de herencia en España: hacia una didáctica específica para contextos no formales. Revista Lengua y migración, 111.2.135-161.

AZEVEDO-GOMES. & SARTOR HARADA, Andresa. 2020. Mlearning for heritage speakers: an app design proposal based on constructivism, EDULEARN20 Proceedings, 8015-8019.

BEAUDRIE, Sara. DUCAR, Cynthia. & RELAÑO-PASTOR, Ana Maria. 2009. Curricular perspectives in the heritage language context: assessing culture and identity. Language, Culture and Curriculum, 22.2. 157-174.

BENMAMOUN, Elabbas., MONTRUL, Silvina., & POLINSKY, Maria. 2013. Heritage languages and their speakers: Opportunities and challenges for linguistics. Theoretical Linguistics, 39.3-4. 129-181.

CARREIRA, María.& KAGAN, Olga. 2011. The Results of the National Heritage Language Survey: Implications for Teaching, Curriculum Design, and Professional Development. Foreign Language Annals, 44.1. 40-64.

CANAGARAJAH, Suresh. 2018. Translingual practice as spatial repertoires: Expanding the paradigm beyond structuralist orientations. Applied Linguistics, 39.1. 31-54.

CUMMINS, Jim. 2005. A Proposal for action: Strategies for recognizing heritage language competence as a learning resource within the mainstream classroom. The Modern Language Journal, 89.4. 585-592.

DINIZ, Maristela. & PRIETO, Paloma. 2018. Análisis de la práctica docente en el contexto de la tríplice frontera brasil-perú-bolivia: la gestión del proceso de enseñanza de lenguas en una perspectiva plurilingüe. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological, 5.2.71-92.

FERREIRA, Teresa. GRAÇA, Luciana. CARDOSO, Inês. 2020. Formação de professores de português como língua de herança: Possibilidades do recurso a atividade “Na pele dos aprendentes”. In: GONÇALVES, Maria de Lurdes & MELO-PFEIFER, Silvia (Coord). Português como língua de herança e formação de professores. Lisboa: Lidel.

FLORES, Cristina. & MELO-PFEIFER, Silvia. 2014. O conceito" Língua de Herança" na perspetiva da Linguística e da Didática de Línguas: considerações pluridisciplinares em torno do perfil linguístico das crianças lusodescendentes na Alemanha. Domínios de Lingu@ gem, 8.3. 16-45.

FLORES, Nelson. OTHEGUY, Ricardo. GARCÍA, Ofelia y MENKEN Kate. 2013. Translanguaging ACUNY-NYSIEB Guide for educators. The Graduate Center, The City University of New York.

GARCÍA, Ofelia. JOHNSON, Susana., & SELTZER, Kate. 2017. The translanguaging classroom. Leveraging student bilingualism for learning. Philadelphia: Caslon.

GARCÍA, Ofelia. & OTHEGUY, Ricardo.2019: Plurilingualism and translanguaging: commonalities and divergences, International Journal of Bilingual Education and Bilingualism, 23.1. 17-35.

KONDO–BROWN, Kimi. 2005. Differences in language skills: Heritage language learner subgroups and foreign language learners. The Modern Language Journal, 89.4. 563-581.

________.2010. Curriculum Development for Advancing Heritage Language Competence: Recent Research, Current Practices, and a Future Agenda. Annual Review of Applied Linguistics, 30. 24-41.

LEWIS, Gwin., JONES, Bryn. & BAKER, Colin. 2012. Translanguaging: Developing its conceptualisation and contextualisation. Educational Research and Evaluation, 18.7. 655-670.

LIRA, Camila. 2020. A troca de cartas como estímulo à produção escrita no ensino de POLH. . In AZEVEDO-GOMES, Juliana & LIRA, Camila (Orgs.) O POLH na Europa-Português como Língua de Herança: volume 2-Suíça. 40-63. Lisboa: Sagarana.

MELO-PFEIFER, Silvia. & ARAÚJO E SÁ, Maria Helena. H. 2017. A dimensão afetiva na interação plurilingue: Dinâmicas de negociação de imagens e estereótipos na interação romanófona em chat. Revista Portuguesa de Educação, 30.2.111-131.

MENDES, Edleise. 2012. Vidas em Português: perspectivas culturais e identitárias em contexto de português língua de herança (PLH). Platô Revista do Instituto Internacional de Língua Portuguesa, 2.1. 20-31.

MONTRUL, Silvina. 2012. Is the heritage language like a second language? EuroSLA Yearbook, 12.1. 1-29.

_______. 2016. The acquisition of heritage languages. Cambridge, UK: Cambridge University Press.

MORONI, Andreia Sanchez. 2020. O professor de português como língua de herança e o acolhimento de translinguagens em sala de aula. Revista X, 15.1. 157-180.

O DE SOUZA, Ana Luisa. O português como Língua de Herança: Línguas e identidades em movimento. 2020. In SOUZA, Ana & ORTIZ ALVAREZ, Maria Luisa.: Português como Língua de Herança: Uma disciplina que se estabelece. Campinas: Pontes.

ORTIZ ALVAREZ, Maria Luisa. 2016. O Falante de herança: à procura de sua identidade. O mundo do Português eo português no mundo afora: especificadades, implicações e ações, 59-86. Campinas: Pontes.

PACHECO, Mark. & MILLER, Mary. 2016. Making meaning through translanguaging in the literacy classroom. The Reading Teacher, 69.5. 533-537.

POLINSKY, Maria. & KAGAN, Olga. 2007. Heritage languages: In the wild and in the classroom. Language and Linguistics Compass. 1.5. 368-395.

SEALS, Corinne. 2018. Positive and negative identity practices in heritage language education. International Jour¬nal of Multilingualism, 15.4. 329-348.

SOLÉ, Carlota., CAVALCANTI, Leonardo. & PARELLA, Sónia. 2011. La inmigración brasileña en la estructura socioeconómica de España. Documentos del Observatorio Permanente de Inmigración. 27. 9-211.

SONG, Kwangok. 2016. “Okay, I will say in Korean and then in American”: Translanguaging practices in bilingual homes. Journal of Early Childhood Literacy, 16.1. 84-106.

SOUZA, Ana; AZEVEDO-GOMES, Juliana. 2017. Innovations in the Teaching of Portuguese as a Heritage Language. In. KAGAN, Olga. CARREIRA, M. CHIK, Claire. The Routledge Handbook of Heritage Language Education: From Innovation to Program Building. 100-113.

SOUZA, Ana.& VIZENTINI, Miriam M. 2020. Refletindo sobre currículo 1: o POLH hoje e amanhã 2. In AZEVEDO-GOMES, Juliana & LIRA, Camila (Orgs.) O POLH na Europa-Português como Língua de Herança: volume 2-Suíça. 40-63. Lisboa: Sagarana.

SOUZA, Ana. LIRA, Camila. 2020. O papel da reflexividade na formação dos professores de português como língua de herança. In: GONÇALVES, Maria de Lurdes & MELO-PFEIFER, Silvia (Coord). Português como língua de herança e formação de professores. Lisboa: Lidel.

UNESCO. 2004. Programa de lenguas de la UNESCO. Unesco.

VALDÉS, Guadalupe. 2001. Heritage Language Students: Profiles and Possibilities. En PEYTON, Joy. RANARD, Donald & MCGINNIS, Scott (Eds.), Heritage Languages in America: Preserving a national resource. 37-80. Washington, DC: Center for Applied Linguistics.

VAN DEUSEN-SCHOLL, Nelleke. 2003. Toward a definition of heritage language: sociopolitical and pedagogical considerations. Journal of Language, Identity, and Education, 2.3. 211-230.

VOGEL, Sara., & GARCÍA, Ofelia. 2017. Translanguaging. Oxford Research Enciclopedia of Education, 1-21.USA. https://doi.org/10.1093/acrefore/9780190264093.013.181

WEI, Li. 2018. Translanguaging as a practical theory of language. Applied linguistics, 39.1. 9-30.

WU, Ming-Hsuan. H., & LEUNG, Geneviene. 2020. ‘It’s not my Chinese’: a teacher and her students disrupting and dismantling conventional notions of ‘Chinese’through translanguaging in a heritage language classroom. International Journal of Bilingual Education and Bilingualism. 23. 1-14.

ZHAO, Sumin., & FLEWITT, Rosie. 2020. Young Chinese immigrant children’s language and literacy practices on social media: A translanguaging perspective. Language and Education, 34.3. 267-285.

ZYZIK, Eve. 2016. Toward a Prototype Model of the Heritage Language Learner. In Fairclough y Beaudrie (Eds.), Innovative Strategies for Heritage Language Teaching: A Practical Guide for the Classroom. 19-38. Washington, DC: Georgetown University.
Publicado
2021-08-31