Ensino e aprendizagem

Práticas de linguagem em língua materna

  • Dayse Rodrigues dos Santos Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará
  • Éderson Luís Silveira Universidade Federal de Santa Catarina
  • Rodrigo de Souza Wanzeler Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará
Palavras-chave: Ensino e aprendizagem, Práticas de linguagem, Língua materna

Resumo

Neste volume temático Ensino e aprendizagem: práticas de linguagem em língua materna temos trabalhos de perspectiva transdisciplinar sobre práticas e dados de natureza linguística e discursiva, refletindo sobre a dimensão da relação indissociável entre práticas linguístico-discursivas e sociais. Encontram-se, nesta linha de investigação, o ensino e a aprendizagem de língua materna, as práticas de tradução em interface com o ensino, os contextos midiáticos e tecnológicos, questões relacionadas a multiculturalismo, entre outros temas de abordagem similar.

Em torno de um quarto de século, pouco mais de duas décadas aproximadamente, que os linguistas passaram a compor o debate acerca do ensino de língua materna no Brasil. Antes disso, inúmeros gramáticos, pedagogos, psicólogos, cognitivistas, por exemplo, vinham se debruçando sobre o assunto. No caso em questão a particularidade reside, entre uma abordagem e outra, no fato de que cada área centraliza as discussões de acordo com pressupostos alinhados a áreas do conhecimento condizentes com sua pesquisa. Assim, quando os linguistas passaram a ocupar tal lugar no debate sua crítica recaiu sobre a forma que a escola trata o ensino de linguagem.

O ensino tradicional foi então considerado um terreno de fragilidades devido a dificuldades de lidar, neste contexto, com especificidades culturais e linguísticas devido à inserção de novos discentes na escola pública nacional ocasionada pela expansão educacional oriunda dos governos militares. Desse modo, havendo perpassado historicamente temas como a variação linguística, o conceito de gramática, os usos sociais da linguagem, a emergência dos estudos discursivos e a funcionalidade das práticas de linguagem em âmbito efetivo houve um redirecionamento que fez com que os linguistas imprimissem sua marca de forma significativa. Sobretudo, passou-se a indicar a importância de não confundir ensino de nomenclaturas gramaticais com ensino de língua portuguesa. Isso porque o trabalho excessivamente normativo não considera a realidade multifacetada da língua que não pode ser reduzida a um compêndio de ações de transmissão de regras.

Diante disso, vale salientar que inúmeras pesquisas teórico-críticas têm se dedicado aos estudos das práticas de linguagem em contextos escolares  cada vez mais heterogêneos, o que engloba um vasto campo de pesquisas relativas à utilização de múltiplas linguagens no âmbito de modalidades tão diversificadas que vão desde o ensino fundamental, o médio, o técnico, a educação de jovens e adultos até questões voltadas a instâncias relativas ao ensino integrado e ao ensino profissionalizante. Dessa forma, esperamos que os textos deste volume contribuam para o desenvolvimento de pesquisas que tematizam ensino e aprendizagem de língua portuguesa em contextos escolares relacionados às práticas de linguagem, em perspectivas teóricas que atentem para a questão da interação sob a perspectiva dos usos sociais da linguagem.

Biografia do Autor

Dayse Rodrigues dos Santos, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará

Mestre em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal de Goiás

Éderson Luís Silveira, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorando em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina

Rodrigo de Souza Wanzeler, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará

Doutor em Antropologia Social pela Universidade Federal do Pará

Referências

.
Publicado
2021-08-31