Ideologia e propaganda

A Educação como resistência à mentira organizada a partir do pensamento de Hannah Arendt

  • Carlos Eduardo Gomes Nascimento Universidade Federal da Bahia
Palavras-chave: Ideologia e propaganda, Educação, Hannah Arendt

Resumo

Este artigo traça uma possível repercussão das concepções de ideologia e propaganda sobre a educação a partir do pensamento de Hannah Arendt. Arendt, pensadora judia, testemunhou tempos sombrios do regime totalitário na Alemanha em meados do século XX. A ideologia e a propaganda do regime totalitário objetivaram destruir o passado, a realidade e a política. Fundamenta-se em parte da obra “Origens do totalitarismo” (2016) da autora e no romance “1984” de George Orwell, para chamar à atenção que, mesmo findo os regimes totalitários, os riscos da manipulação da realidade e da história ainda espreitam a vida política contemporânea. Conclui-se que a educação, na perspectiva arendtiana, enquanto responsabilidade de introduzir as crianças e os jovens em uma herança cultural e histórica de um mundo comum, se constitui como uma forma de resistência à ideologia e à propaganda de natureza totalitária.   

Biografia do Autor

Carlos Eduardo Gomes Nascimento, Universidade Federal da Bahia

Mestrado em Educação da Universidade Federal da Bahia (2018). Licenciatura em Filosofia e Pedagogia pela Universidade Federal da Bahia (2015/2019). Participou de ações na Educação Básica: Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) em Filosofia/UFBA(2013/2015) e em Pedagogia/UFBA(2016); tutoria e orientação no curso de Especialização de Ensino em Filosofia do Ensino Médio da Universidade Federal da Bahia(2014/2015); tutoria e orientação do curso de Especialização de Ensino em Filosofia do Ensino Médio da Universidade Federal da Bahia(2017/2018). Participou do programa social Pré-Vest/UFBA (2015) como professor de filosofia.

Referências

AGUIAR, O. A. Veracidade e propaganda em Hannah Arendt. Cadernos de Ética e Filosofia política, vol. N. 10, no 1, p. 7 -17, 2007.

ARENDT, H. A condição humana. 13a ed. Trad. Roberto Raposo. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2017.

ARENDT, H. Entre o passado e o futuro. 6. ed. Trad. Mauro W. Barbosa. São Paulo: Perspectiva, 2011.

ARENDT, H. A Dignidade na política. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2006.

ARENDT, H. Origens do totalitarismo. Trad. Roberto Rapouso. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

ARENDT, H. Crises da República. 2a ed . São Paulo: Ed. Perspectiva, 2015.

CARVALHO, J. S. F. Educação, uma herança sem testamento: diálogos com o pensamento de Hannah Arendt. São Paulo: Perspectiva, 2017.

DUARTE, A. O pensamento à sombra da ruptura: política e filosofia em Hannah Arendt. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

ORWELL, G. 1984. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

PEREIRA, G. A. E. O problema da verdade na obra de Hannah Arendt . Tese (Doutorado). Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2017.

Publicado
2020-06-17