Percepção dos professores de Educação Física para atuação na saúde pública

Palavras-chave: Formação de Professores de Educação Física; Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica/NASF-AB; Educação Física

Resumo

O artigo analisa a percepção dos professores de Educação Física sobre seu processo de formação para atuação no Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica/NASF-AB. Metodologicamente é uma pesquisa qualitativa e método exploratório. Os instrumentos de coleta de dados foram entrevistas com dois professores de Educação Física que atuam no NASF-AB das cidades de Nortelândia e Arenápolis em Mato Grosso. Para os entrevistados, as vivências e a trocas no ambiente de trabalho foram importantes para sua atuação na Saúde Pública, demarcando a formação como um processo permanente. O estudo demonstrou ser necessário pensarmos em uma formação que permita desconstruir as dimensões médico-higienistas, biologicista e de valorização do esportiva que envolvem a Educação Física. Esperamos suscitar debates que contribuam para a legitimação da Educação Física no âmbito da Saúde Pública e quiçá pistas para se pensar novas perspectivas para formação dos professores de Educação Física.

Biografia do Autor

Bruna Maria de Oliveira, Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)

Possui graduação em Educação Física pela Universidade do Estado de Mato Grosso (2010) e mestrado em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (2017). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Física, atuando principalmente nos seguintes temas: práticas corporais indígenas e quilombolas, corpo, práticas corporais, educação física, educação quilombola e cultura lúdica.

Sara Gabrielle Gonçalves da Silva, Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)

Graduanda em Educação Física pela Unemat, Câmpus Diamantino/MT.

Referências

ALCÂNTARA, F. O processo histórico de atuação do educador físico e da sua inserção na estratégia saúde da família do município de Sobral-CE. 65 f. Monografia (Especialização com Caráter de Residência em Saúde da Família) – Universidade Estadual Vale do Acaraú, Sobral, 2004.

BETTI, M. Sociologia da Educação Física e esporte no Brasil: passado, presente e futuro. In: REZENDE, H. G. Org.). Educação física e esporte: ensaios e perspectivas. Rio de Janeiro: SBDEF, UGF, 1994.

BRASIL. Ministério da Saúde. Cadernos de Atenção Básica: Diretrizes NASF. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2009. n. 27.

BRASIL. Ministério da Saúde. Diretrizes do NASF: Núcleo de Apoio à Saúde da Família. Brasília: Ministério da Saúde, 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Básica (PNAB). Brasília, DF, 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria GM nº 154, de 24 de janeiro de 2008. Cria os Núcleos de Apoio à Saúde da Família - NASF. 2008.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.436, de 21 de Setembro de 2017.

CASTELLANI FILHO, L. Educação Física no Brasil: a história que não se conta. Campinas, SP: Papirus, São Paulo, 1988.

FREITAS, S. F. S. Educação Física e SUS: Indicadores da Formação e Atuação Profissional. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Goiás, Programa de Pós-Graduação em Educação, Jataí, 2018.

HACK, C. Formação de professores e professoras de Educação Física no Brasil e o embate de projetos no campo de conhecimento da saúde: contribuições da teoria pedagógica histórico-crítica. Salvador, 2017.

LOCH, M. R., et al. A saúde pública nos anais do Congresso Brasileiro de Atividade Física e Saúde (1997-2009): revisão sistemática. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, Pelotas, v. 16, n. 2, p. 162-167, 2011.

LUZ, M. T. Educação física e saúde coletiva: papel estratégico da área e possibilidades quanto ao ensino na graduação e integração na rede de serviços públicos de saúde. In: FRAGA, A. B; WACHS, F (Org). Educação física e saúde coletiva: políticas de formação e perspectivas de intervenção. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2007.

MATTOS, R. Integralidade como eixo da formação de profissionais de saúde. Revista Brasileira de Educação Médica. 2004, v. 28, n. 2, p. 91-92.

MIRANDA, F. M.; MELO, R. V.; RAYDAN, F. P. S. A inserção do profissional de Educação Física no programa Saúde da família segundo opinião dos profissionais integrantes do programa em uma unidade básica de saúde da cidade de Coronel Fabriciano – MG. MOVIMENTUM – Revista Digital de Educação Física. Ipatinga: Unileste – MG. v. 2. nº 2. ago/dez 2007.

PERRENOUD, P. A prática reflexiva no ofício de professor: profissionalização e razão pedagógica. Porto Alegre: Artes Médicas, 2002.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

SANTIAGO, M. L. E.; PEDROSA, J. I. S.; FERRAZ, A. S. M. A formação em Saúde à luz do projeto pedagógico e das diretrizes curriculares da Educação Física. Movimento, vol. 22, nº 2, Escola de Educação Física Rio Grande do Sul, Brasil, abril/junho, 2016, p. 443-457.

SCABAR, T. G.; PELICIONI, A. F.; PELICIONI, M. C. F. Atuação do profissional de educação física no sistema único de Saúde: uma análise a partir da Política Nacional de Promoção da Saúde e das diretrizes do Núcleo de Apoio à Saúde da Família – NASF. Journal Health Science Institute, 30 (4): 411–8, 2012.

Publicado
2020-05-05