OMERTÀ A relação dialógica e de sentidos da expressão napolitana e o nome da operação da polícia federal

  • Wesley Mateus Dias Universidade Estadual de Maringá (UEM)
Palavras-chave: Dialogismo, Nomeação, Bkahtin, Lava Jato

Resumo

Em 26 de setembro de 2016, a Polícia Federal deflagra a 35ª fase da Operação Lava Jato, nomeada de Operação Omertà, com o intuito de investigar relações criminosas entre o ex-ministro Antonio Palocci (PT), com o comando da empreiteira Odebrecht. Segundo a procuradoria da Polícia Federal, o nome da operação faz referência a origem italiana do ex-ministro, sendo que ele era apelidado de “italiano” pelo Grupo Odebrecht. Omertà é um termo de origem napolitana que serve como código da organização criminosa italiana, no qual consiste em um ato de silêncio e cooperação com as ações criminosas. Desse modo, nosso objetivo nesse trabalho é entender o funcionamento dialógico de sentidos da nomeação dessa operação organizada pela Polícia Federal, ou seja, a relação de sentidos que se dá entre a expressão napolitana e a nomeação contemporânea. Para isso, basear-nos-emos no dialogismo bakhtiniano, já que não há a primeira e nem a última palavra e, sim, uma retomada de uma posição axiológica, como uma resposta ao já-dito, conforme explicita Bakhtin. Para tanto, utilizaremos dados de inquéritos referentes a esta operação da Polícia Federal e do Ministério Público, bem como informações obtidas pela mídia e pela imprensa, além de estudos e dados relativos à expressão utilizada para nomear esses processos criminais.

Biografia do Autor

Wesley Mateus Dias, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Sou professor de Língua Portuguesa dos anos finais do Fundamental e do Ensino Médio na Secretaria Estadual de Educação do Paraná (SEED/PR), mestrando na linha de Estudos do Texto e do Discurso pelo Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Maringá (PLE/UEM). Graduado em Letras-Português pelo departamento de Ciências Humanas e da Educação da Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR - Campus de Apucarana), licenciando-me em Língua Portuguesa e suas respectivas Literaturas. Na mesma instituição, exerci a função de Monitor de Língua Latina I e II no ano de 2017.

Referências

ARAÚJO, L. K. O que é enunciado?; Brasil Escola. Disponível em: https:// brasilescola.uol.com.br/o-que-e/portugues/o-que-e-enunciado.htm. Acesso em 20 de dezembro de 2019.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 6. ed. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2011. p. 261-306.

BAKHTIN, M.; VOLOCHINOV, V. N. Marxismo e filosofia da linguagem. Trad. Michel Lahud e Yara Frateschi. 16 ed. São Paulo: Hucitec, 2014.

BARROS, D. L. P. Dialogismo, polifonia e enunciação. In: FIORIN, J. L. (Orgs.). Dialogismo, polifonia, intertextualidade: em torno de Bakhtin. São Paulo: EDUSP, 1994.

BEHAN, T. The Camorra. London: Routledge, 1996.

BEZERRA, P. Prefácio: Uma obra à prova do tempo. In: BAKHTIN, M. M. (1929/1963). Problemas da poética de Dostoiévski. Trad. Paulo Bezerra. 5. ed. (2. tiragem). Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2011.

BRASIL. Ministério Público Federal. Denúncia Palocci. Ação Penal Pública Incondicionada. Ministério Público Federal. Procurador República: Deltan Martinazzo Dallagnol. Curitiba, 28 de outubro de 2016.

BRASIL. Lava Jato: força-tarefa denuncia Antônio Palocci por corrupção e lavagem de dinheiro. Disponível em: www.mpf.mp.br/pr/sala-de-imprensa/noticias-pr/lava-jato-forca-tarefa-denuncia-antonio-palocci-por-corrupcao-e-lavagem-de-dinheiro. Publicado em 28 out. 2016. Acesso em 23 jul. 2019.

CAVALCANTI, R. C. Capitalismo humanista, a retórica patética e o espírito de omertà. Thesis, São Paulo, ano VIII, n. 18, p. 20-40, 2o semestre, 2012.

DIAS, W. M; CARMO, A. B. Catilinárias: análise semântico-enunciativo da nomeação da Operação da Polícia Federal. In: FERRAGINI, N. L. et al. (Orgs.). Anais. III Congresso de Licenciaturas. Campo Mourão, PR: Editora Fecilcam, 2019. p. 146-157.

FARACO, C. A. Linguagens e diálogo: as ideias linguísticas do círculo de Bakhtin. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

FIORIN, J. L. Introdução ao pensamento de Bakhtin. São Paulo: Ática, 2006.

GUIMARÃES, E. Semântica do acontecimento: um estudo enunciativo da designação/Eduardo Guimarães. - Campinas, SP: Pontes, 2002.

JUSTI, A. Polícia Federal prende Antonio Palocci na 35a fase da Operação Lava Jato. Portal G1. O Globo. Disponível em: http://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2016/09/policia- federal-cumpre-novos-mandados-da-operacao-lava-jato.html. Publicado em 26 set. 2016. Acesso em: 30 jan. 2020.

LEITÃO, M. Omertà, o código de silêncio das máfias. Portal G1. Blog do Matheus Leitão. Disponível em: g1.globo.com/politica/blog/matheus-leitao/post/omerta-o-codigo- de-silencio-das-mafias.html. Publicado em 26 set. 2016. Acesso em 19 jul. 2019.

LINS, N. F.; SANTOS, M. F. O. A compreensão responsiva ativa no gênero do discurso dramático. Letra Magna, ano 06, n. 12, 2010.

O GLOBO. Nome da nova operação da Lava-Jato, Omertà faz referência à máfia italiana. Disponível em: https://oglobo.globo.com/brasil/nome-da-nova-operacao-da-lava- jato-omerta-faz-referencia-mafia-italiana-20179132. Publicado em 26 set. 2016. Acesso em 19 jul. 2019.

PISA, M. Tifoso morto negli scontri prima di Inter-Napoli: arrestato l’investitore di Belardinelli. La Repubblica di Milano, 2019. Trad. Wesley Mateus Dias. Disponível em: https://milano.repubblica.it/cronaca/2019/10/18/news/ tifoso_morto_negli_scontri_prima_di_inter- napoli_arrestato_l_investitore_di_belardinelli-238848057/. Acesso em 25 out. 2019.

POLÍCIA FEDERAL. Operação Lava Jato. 2014. Disponível em: http://www.pf.gov.br/ imprensa/lava-jato. Acesso em: 18 fev. 2019.

POLÍCIA FEDERAL. PF investiga ex-ministro da Casa Civil e da Fazenda. 2016. Disponível em: http://www.pf.gov.br/agencia/noticias/2016/09/pf-investiga-ex-ministro-da-casa-civil- e-da-fazenda. Acesso em: 18 fev. 2019.

SOBRAL, A. Do dialogismo ao gênero: as bases do pensamento do círculo de Bakhtin. Campinas: Mercado de Letras, 2009.

SOUZA, L. F. Platão. Crátilo. Estudo e Tradução. 200 p. Dissertação (Mestrado em Letras Clássicas) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

Publicado
2020-05-05