Rose Dusreis e Áurea Ferreira

Bailarinas negras

Palavras-chave: Ballet clássico, Literatura Negra, Exclusão, Inclusão, Racismo

Resumo

Este artigo objetiva refletir sobre o racismo e a exclusão de bailarinas negras na dança clássica ballet por meio das análises do conto “Rose Dusreis”, inserido na obra de Conceição Evaristo, Insubmissas lágrimas de mulheres, e da trajetória profissional de Áurea Ferreira. Para tanto, serão levados em consideração os estudos de Cuti (2010), sobre Literatura Negra; de Dalcastagnè (2008), acerca do perfil de escritores publicados no Brasil; de Paula (2015), no que diz respeito às escritoras negras e aos espaços institucionais; de Oliveira (2007), no que se refere ao corpo na cosmovisão africana; de Ferraz (2017), sobre bailarinos negros; de Ferreira (2010), acerca do processo de identificação realizado de forma dialógica e tensiva; de Rajagopalan (2010), sobre a discriminação processada pela linguagem; de Nascimento (2015), ao estudar a trajetória artística de Áurea Ferreira; e de Fanon (2008), sobre seus estudos sobre o negro atrelados à linguagem.

Biografia do Autor

Leandro Passos, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul (IFMS)

Pós-doutorando, doutorado em Letras (2012), mestrado em Estudos Literários (2008) e graduação em Letras (2004) na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Docente EBTT no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul (IFMS). Pesquisador nos grupos de pesquisa "Vertentes do Fantástico na Literatura", "Gênero e Raça" e "Criminologia: diálogos críticos". Sócio da Associação Brasileira de Pesquisadores Negros (ABPN). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura Brasileira, atuando principalmente nos seguintes temas: cultura afro-brasileira e indígena, literatura para crianças e jovens; prática de ensino de Língua Portuguesa.

Cláudia Maria Ceneviva Nigro, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP)

Pós-doutorado (2003) na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), doutorado (1999) e mestrado (1994) em Estudos Literários (1994), bem como licenciatura em Letras  (1986) na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Livre Docente e professora adjunta do programa de pós-graduação em Letras e Crítica Literária na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Tem experiência na área de Literatura, Linguística, com ênfase em Linguística Aplicada ao Ensino de Língua e Literatura, atuando principalmente nos seguintes temas: identidade, exclusão, gênero, religião, tradução e cultura.

Referências

CUTI, A. Literatura negro-brasileira. São Paulo: Selo Negro Edições, 2010.

DALCASTAGNÈ, R. Entre silêncios e estereótipos: relações raciais na literatura brasileira contemporânea. Estudos de literatura brasileira contemporânea. UNB, n. 31, 2008.

EVARISTO, C. Insubmissas lágrimas de mulheres. Rio de Janeiro: Malê, 2016.

FANON, F. Pele negra, máscaras brancas. Tradução Renato Silveira. Salvador: EDUFBA, 2008.

FERRAZ, F. M. C. Danças Negras: entre apaga mentos e afirmação no cenário político das artes. Revista Eixo, Brasília, v. 6, n. 2 (Especial), nov., 2017.

FERREIRA, L. Corpos moventes em diáspora: dança, identidade e reexistência. Revista da ABPN, v. 11, n. 27, nov. 2018 – fev 2019, p.50-63.

FERREIRA, R. Identidade, Exclusão, e Consumo no Contemporâneo: a Diferença na Vitrine. IN: FREITAS, A. C. (Org.). Linguagem e exclusão. Uberlândia: EDUFU, 2010.

GROSFOGUEL, R. Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: Transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, n. 80, p. 115-147, 2008.

GUIMARÃES, A. S. A. Racismo e anti-racismo no Brasil. São Paulo: Ed. 34, 2009.

NASCIMENTO, E. S. A experiência na dança sob um olhar afrodescendente: apontamentos sobre a biografia da bailarina Áurea Ferreira. Trabalho de Conclusão de Curso. UNESP-IBILCE. 2015.

OLIVEIRA, E. Filosofia da ancestralidade: corpo e mito na filosofia da educação brasileira. Curitiba: Ed. Gráfica Popular, 2007.

PAULA, C. S. Negra sem reticências: corpo e corporeidade na poesia de escritoras afro-brasileiras. Tese de doutorado. UNESP IBILCE/SJRP, 2015.

RAJAGOPALAN, K. Prefácio. In: FREITAS, A. C. (Org.). Linguagem e exclusão. Uberlândia: EDUFU, 2010.

SÁ, R. L. Editorial. Revista Interdisciplinar de Estudos de Linguagem, v. 1, n. 1, 2019.

SCHUCMAN, L. V. Entre o "encardido", o "branco" e o "branquíssimo": raça, hierarquia e poder na construção da branquitude paulistana. Tese (doutorado). Universidade de São Paulo, 2012.

SILVA, V. B. Racismo em livros didáticos: estudo sobre negros e brancos em livros de Língua Portuguesa. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

SOVIK, L. Aqui ninguém é branco. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2009.

Publicado
2019-12-20