O CAMPO DO ENSINO DE GEOMETRIA NO BRASIL: DO BRASIL COLÔNIA AO PERÍODO DO REGIME MILITAR

  • Sandra Konzen Universidade Comunitária da Região de Chapecó
  • Luci Teresinha Marchiori dos Santos Bernardi Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó http://orcid.org/0000-0001-6744-9142
  • Bruna Larissa Cecco Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ)

Resumo

O presente artigo consiste num estudo bibliográfico, oriundo de um trabalho de conclusão de curso, desenvolvido com o objetivo de compreender como se configura o campo de ensino da geometria no Brasil. O recorte apresentado coloca em tela o contexto histórico do Brasil Colônia até o período do Regime Militar, especificamente, de documentos publicados a partir de 1700 até 1985, que demarcam a transição da geometria de disciplina para conteúdo da disciplina de matemática, tratando, também, do Movimento da Matemática Moderna. Analisamos o campo de ensino da geometria presente nos documentos a partir das seguintes categorias, definidas a priori: objetivos, orientações pedagógicas e programas. Nesse contexto, a geometria possui um papel importante na promoção de condições para que o aluno possa ver e entender o mundo a sua volta de um modo mais crítico. Entender como se configurou esse campo de ensino proporciona uma visão histórica necessária para que possamos olhar a geometria criticamente, percebendo sua importância como um conteúdo significante na disciplina de Matemática e suas relações com diversos elementos do contexto.

 

Biografia do Autor

Sandra Konzen, Universidade Comunitária da Região de Chapecó
Graduada em Matemática pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ). Professora da Rede Estadual de Ensino em Santa Catarina.
Luci Teresinha Marchiori dos Santos Bernardi, Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó

Graduada em Matemática, Mestre em Educação e Doutora em Educação Científica e Tecnológica pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. É docente permanente do Programa de Pós-graduação stricto sensu em Educação da Universidade Comunitária da Região de Chapecó. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Matemática, Formação do Professor que ensina Matemática, Educação Indígena e do Campo 

Bruna Larissa Cecco, Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ)
Mestre em Educação e Graduada em Matemática pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ)

Referências

KONZEN, Sandra. Do Brasil Colônia à contemporaneidade: a configuração da geometria como campo de ensino no Brasil. 2016. 55 p. Trabalho de Conclusão de Curso. (Curso de Licenciatura em Matemática) – Universidade Comunitária Da Região De Chapecó, Chapecó SC, 2016 Ano, Disponível em http://konrad.unochapeco.edu.br:8080/pergamumweb/vinculos/0000ea/0000eaae.pdf. Acesso em 01 Out. 2017.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Matemática, terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental. Brasília: MEC / SEF, 1998.

DASSIE, B.A.; ROCHA, J.L. O ensino de matemática no Brasil nas primeiras décadas do século XX. Caderno Dá Licença, Niterói, v. 5, n.4, p. 65-74, 2003.

EUCLIDES. Os elementos. 1.ed. Trad. Irineu Bicudo. Rio Claro, SP: Unesp, 2009.

FIORENTINI, D.; LORENZATO, S. Investigação em educação matemática. 2.ed.rev. Campinas, SP: Autores Associados, 2007. (Coleção Formação de Professores)

MARTINS, L. F. Motivando o ensino da geometria. Unesc: Criciúma, 2008.

MENESES, R. S. Uma história da geometria escolar no Brasil: de disciplina a conteúdo de ensino. 2007. 172 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2007.

O´CONNOR, J.; ROBERTSON, E. Mac tutor history of mathematics archive. Disponível em: <http://www-history.mcs.st-andrews.ac.uk/.> Acesso em 01 dez. 2016.

SENA, R. M.; DORNELES, B. V. Ensino de geometria: rumos da pesquisa (1991-2011). Revista Revemat, Florianópolis, v. 08, n. 1, p. 138-155, 2013.

SILVA, JCP.; PASCHOARELLI, LC., (Orgs.) A evolução histórica da ergonomia no mundo e seus pioneiros [online]. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. 103 p. ISBN978-85-7983-120-1.

SOARES, F. S. Os congressos de ensino da matemática no Brasil nas décadas de 1950 e 1960 e as discussões sobre a matemática moderna. In: Seminário Paulista de História e Educação Matemática, 1, 2005, São Paulo. Anais... São Paulo: IME - USP, 2005. p. 445-452. Disponível em: <http://www.ime.usp.br/~sphem/documentos/sphem-tematicos-5.pdf>.Acesso em 10 dez. 2016.

TARGINO, Regina Rodriguez Bôtto. Objetivos de ensino, 2009. Disponível em: <http://profareginarodriguez.blogspot.com.br/2009/04/objetivos-de-ensino-regina-rodriguez.html.> Acesso em: 15 nov. 2016.

VALENTE, W. R. (Org.) O Nascimento da matemática do ginásio. São Paulo: Annablume/FAPESP, 2004.

VALENTE, W. R. Uma história da matemática escolar no Brasil, 1730-1930. 2. ed. São Paulo: Annablume/FAPESP, 2007.

WIELEWSKI, G. D. O movimento da matemática moderna e a formação de grupos de professores de matemática no Brasil. Revista APM. Lisboa, Portugal: Associação de Professores de Matemática, 2008. Disponível em: http://ml.apm.pt/files/_Co_Wielewski_4867d3f1d955d.pdf. Acesso em: 01 dez.2016.

Publicado
2017-12-31
Seção
Comunicações Científicas