Análise da evasão escolar do povo preto a partir do processo eugênico

Autores

  • Daniela Guimarães Serafim Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro - ISERJ

Resumo

Pretende-se com este trabalho compreender a evasão escolar do povo preto a partir do processo histórico de eugenia no meado do século XX que se desdobra na prática de racismo institucionalizado no momento presente. Esse viés racista na escolarização preserva, naturaliza e normaliza a falta de ascensão dos descendentes de pessoas escravizadas em cargos que exige titulações acadêmicas especializadas, bem como enfraquece a zona de poder e influência da cultura afro-brasileira, desvaloriza a religiosidade e a estética, além de outros impactos vivenciados cotidianamente. Para tanto, foi realizado uma revisão literária atravessada por dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o qual permite inferir que os cidadãos pretos têm seu desenvolvimento escolar boicotados com ideologias provenientes do período escravista. Ademais, as concepções acerca dos discursos utilizados para descrever a temática permeiam por pensamentos que tendem a isentar o sistema social e a comunidade educacional de práticas excludentes, estigmatizadoras e discriminatórias.

Downloads

Publicado

2022-07-13

Edição

Seção

ARTIGOS