A importância da formação em ajustes curriculares para a implantação de práticas inclusivas

  • Kátia Abreu Fonseca
  • Jair Lopes Junior
  • Vera Lucia Messias Fialho Capellini
  • Cássia Aparecida Magna Oliveira

Resumo

Na perspectiva da educação inclusiva, para todos, em que a escola está embasada atualmente, muitos são os desafios para a inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais (NEEs) 6 em escolas de ensino comum. Entre tais desafios, sobressaem as práticas pedagógicas. Esta pesquisa objetivou caracterizar a prática pedagógica de uma professora do ensino comum, analisando se essa prática abrange flexibilização e adequação curricular para alunos com NEEs do terceiro ano do ensino fundamental. O percurso metodológico envolve os fundamentos da pesquisa qualitativa descritiva. Na coleta de dados, os instrumentos utilizados foram: consulta a documentos; gravações de aulas; roteiro semiestruturado de entrevista; teste de desempenho escolar e lista de ajustes curriculares - elaborada com base na literatura especializada. Os resultados mostram que existem discrepâncias entre o que a professora considera como ajuste curricular, aquilo que é planejado e o que é efetivamente posto em prática. Há necessidade de aprendizagens profissionais visando a fomentar aprimoramentos e subsidiar possíveis intervenções.

Biografia do Autor

Kátia Abreu Fonseca

Doutoranda do programa de pós-graduação em educação na Unesp/Marília, membro do grupo de pesquisa “A inclusão da pessoa com deficiência, TGD/TEA ou superdotação e os contextos de aprendizagem e desenvolvimento”- FC/UNESP- Bauru, katia.fonseca@unesp.br .

Jair Lopes Junior

Professor doutor do Programa de Pós-Graduação em Psicologia do Desenvolvimento e da Aprendizagem e do Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, na UNESP/Faculdade de Ciências - Campus Bauru. Diretor da Faculdade de Ciências- FC/UNESP-Bauru, jair.lopes-junior@unesp.br. Orientador do Trabalho.

Vera Lucia Messias Fialho Capellini

Professora doutora do Programa de Pós-graduação em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem e do Programa de Mestrado Profissional em Docência para a Educação Básica, da FC/ UNESP- Bauru. Vice-Diretora da Faculdade de Ciências - FC/UNESP-Bauru, vera.capellini@unesp.br. Coorientadora do Trabalho.

Cássia Aparecida Magna Oliveira

Mestra em Docência para a Educação Básica pela Universidade Estadual Paulista – UNESP, membro do grupo de pesquisa “A inclusão da pessoa com deficiência, TGD/TEA ou superdotação e os contextos de aprendizagem e desenvolvimento” - FC/UNESP - Bauru, cassiamagoliveira@gmail.com. Colaboradora na atualização do artigo.

Publicado
2020-12-28
Seção
ARTIGOS