Formação de Professores de Língua Estrangeira para Trabalhar
com Alunos com Deficiência Intelectual

Autores

  • Márcia Pereira de Carvalho Secretaria de Educação do Estado de São Paulo 
(SEDUC)
  • Sueli Salles Fidalgo Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
  • Valéria Nunes da Cruz Escola Estadual José Sérgio Pereira (SESSP)

Palavras-chave:

formação de professores na escola pública, ensino-aprendizagem de língua inglesa, inglês para leitura, deficiência intelectual, pesquisa crítica de colaboração

Resumo

Desenvolvido como parte dos trabalhos dos grupos de pesquisa ISEF – Inclusão Social-Educacional e Formação – e ILCAE – Inclusão Linguística em Cenários de Atividades Educacionais credenciados no CNPq, sendo o primeiro certificado pela Unifesp e o segundo pela PUC-SP, o presente texto relata uma pesquisa e um processo formativo de uma Iniciação Científica de Ensino Médio que conta com a coorientação de uma professora da Unifesp e uma professora de escola pública situada no município de Itapevi, ambas participantes, juntamente com uma estudante de Ensino Médio – Bolsista de Iniciação Científica da Unifesp no projeto de extensão Leitura de Textos Acadêmicos em Língua Inglesa, que é desenvolvido como parte do Programa de Extensão Formação Linguístico-Didática Contínua de Professores. O trabalho aqui relatado segue o arcabouço teórico-metodológico da Pesquisa Crítica de Colaboração (PCCol), a teoria histórico-cultural do desenvolvimento e uma perspectiva crítica de formação docente.

Second language teaching education to work with students with intellectual disability

Abstract

Developed as part of ISEF – Social-Educational Inclusion and Formation – and ILCAE – Linguistic Inclusion in Sceneries of Educational Activities on/in CNPq, both certified groups, the first one by Unifesp and the later one by PUC-SP, the present text reports a research and an educational process of a High School Scientific Initiation/Trainee co-advisored by a Unifesp teacher and a teacher from a public school located in the city of Itapevi, both participants in the research, with a high school student – a scholarship trainee of High School Scientific Initiation/Trainee at Unifesp in the extension project Academic Texts Reading in English Language which is developed as part of the Extension Program Continuing Educational Teaching Didactic-Linguistic. The research here presented is grounded on the methodological-theorical framework of Critical Collaboration Research (PCCol), the Cultural-Historical Theory of development and a critical perspective of teacher’s training.

Keywords: public school teacher education, english language teaching-learning, english for reading, intellectual disability, critical collaborative research

Biografia do Autor

Márcia Pereira de Carvalho, Secretaria de Educação do Estado de São Paulo 
(SEDUC)

Mestrado em Linguística Aplicada
Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP)

Sueli Salles Fidalgo, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)

Doutorado em Linguística Aplicada
Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP)

Valéria Nunes da Cruz, Escola Estadual José Sérgio Pereira (SESSP)

Ensino Médio
Escola Estadual José Sérgio Pereira (SESSP)

Referências

Brasil (1996). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9394. Ministério da Educação e Cultura.

Bronckart, J. P. (1995). Séquence et autre formes de planification. Activité, langagière et discours. Pour un interactionisme socio-discursif, (pp. 219-62). Delachaux et Niestlé.

Celani, M. A. A. (Org.)(2003). Professores e formadores em mudança. Mercado de Letras.

Fidalgo, S. S. (2006). A linguagem da inclusão/exclusão social-escolar, na história, nas leis e na prática educacional, (Tese de Doutorado). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Fidalgo, S. S. (2010). Para dar voz aos excluídos da escola. Caminhos na formação de professores de línguas: conquistas e desafios. Anais do Congresso Latino-Americano de Formação de Professores de Línguas(CLAFPL), (pp. 1.228-41). Rio de Janeiro, Brasil.

Fidalgo, S. S. (2015). Brazilian teacher education for inclusive work (or lack thereof). In Proceedings of Specificity of professional activity of social workers, (pp. 473-7). Faculty of Social Sciences of Nizhny Novgorod State University.

Fidalgo, S. S. (2016). Cultural-historical psychology and activity approach in educating specialists in special education: Brazilian teacher education for inclusive work. In The materials of international symposium – Scientific school of L.S. Vygotsky: Traditions and innovations, (pp. 76-89). Universidade Estadual de Moscou de Psicologia e Educação.

Fidalgo, S. S. (2018). A linguagem da exclusão e inclusão social na escola. Editora Unifesp.

Fidalgo, S. S., & Magalhães, M. C. C. (2017). Formação de professores em contextos de inclusão: A discussão vygotskyana do conceito de compensação social. In M. A. A. Celani, B. P. Medrado (Orgs.), Diálogos sobre inclusão: Das políticas às práticas na formação de professores de língua estrangeira. Pontes Editores.

Freire, P. (1996). Pedagogia da autonomia. Editora Paz e Terra.

Giroux, H. A. (1997). Os professores como intelectuais: Rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Editora Artmed.

Harris, J. C. (2010). Intellectual disability: A guide for families and professionals. Oxford University Press.

Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Brasil.

Liberali, F. C. (2008). Formação crítica de educadores: Questões Fundamentais. Cabral Editora e Livraria Universitária.

Magalhães, M. C. C. (2006). Formação contínua de professores: Sessão reflexiva como espaço de negociação entre professores e pesquisador externo. In S. S. Fidalgo & A. S. Shimoura (Orgs.), Pesquisa crítica de colaboração: Um percurso formação docente. Ductor.

Magalhães, M. C. C. (2011). Pesquisa crítica de colaboração: Escolhas epistemo-metodológicas na organização e condução de pesquisas de intervenção no contexto escolar. In M. C. C. Magalhães & S. S. Fidalgo (Orgs.), Questões de método e de linguagem na formação docente (pp. 13-39). Mercado de Letras.

Magalhães, M. C. C., Liberali, F. C., & Lessa, A. C. (2006). A formação crítica: Bases teórico-metodológicas. In S. S. Fidalgo & F. C. Liberali (Orgs.), Ação cidadã: Por uma formação crítico-inclusiva (pp. 19-22). Unier.

Nóvoa, A. (Coord.)(1992). Os professores e a sua formação (pp. 15-34). Dom Quixote.

Rotta, N. T., Ohlweiler, L., & Riesgo, R. S. (2016). Transtornos da aprendizagem: Abordagem neurobiológica e multidisciplinar. Editora Artmed.

Shakespeare, T. (2001). Entendendo a deficiência. In Anais da Conferência Internacional “deficiência com atitude”, Sydney, Austrália.

Shalock, R. L., et al. (2010). Intellectual disability: Definition, classification and systems of support. American Association on Intellectual and Developmental Disabilities.

Torres, H. R. (2020). Singulares caminhos e tempos do aprender: O ensino-aprendizagem de história de alunos(as) com deficiência intelectual na escola comum (Tese de Doutorado). Universidade Federal de São Paulo.

Vygotsky, L. S. ([1929] 1993). Introduction: Fundamental problems of defectology. In R. W. Rieber (Ed.), The collected works of L.S. Vygotsky: Fundamentals of defectology, (pp. 29-51). Plenum Press.

Vygotsky, L. S. ([1931] 1993). Compensatory processes in the development of the retarded child. In R. W. Rieber (Ed.), The collected works of L.S. Vygotsky: Fundamentals of Defectology (v. 2, pp. 122-38). Plenum Press.

Vygotsky, L. S. ([1934] 1998). A formação social da mente. Editora Martins Fontes.

Downloads

Publicado

18-09-2022

Como Citar

Carvalho, M. P. de, Fidalgo, S. S., & Cruz, V. N. da. (2022). Formação de Professores de Língua Estrangeira para Trabalhar
com Alunos com Deficiência Intelectual. Revista Letra Magna, 18(30). Recuperado de https://ojs.ifsp.edu.br/index.php/magna/article/view/2148