Uma Atuação Colaborativa entre Escola e Universidade

A Experiência Formativa no Pibid em Turmas Bilíngues para Alunos Surdos

Autores

  • Larissa Daniele de Jesus Coelho Secretaria de Educação de Guarulhos 
(SE)
  • Erica Aparecida Garrutti de Lourenço Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)

Palavras-chave:

alunos surdos, educação bilíngue, formação de professores

Resumo

Diante da crescente demanda acerca da educação de alunos surdos, bem como da necessidade de uma formação de base e continuada para alunos-professores e professores criarem ambientes de aprendizagem no contexto da educação bilíngue para alunos surdos, este relato apresenta e analisa uma proposta formativa e colaborativa, desenvolvida no âmbito do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), de um grupo de trabalho que implementou ações de imersão e práticas educativas com alunos surdos de uma escola-polo bilíngue do município de Guarulhos. Era objetivo do grupo que os pedagogos, em seu processo de formação inicial, compreendessem questões implícitas ao trabalho docente, direcionado a alunos surdos. Em encontros semanais que aconteciam na universidade, a coordenadora de área do Pibid, também professora na universidade, e a supervisora do programa, também professora na escola-polo bilíngue, organizavam momentos formativos com os alunos-professores que envolviam estudos teórico-práticos e planejamento intervenções com os alunos surdos. A proposta formativa revelou que os alunos-professores passaram a problematizar questões concernentes à educação de alunos surdos, ultrapassando o conhecimento das especificidades linguísticas e aproximando-se das particularidades inerentes às práticas pedagógicas bilíngues.

A Collaborative Acting between School and University: The Formative Experience in Institutional Program of Initiation to Teaching Scholarship in Bilingual Classes of Deaf Students

Abstract

With the growing demand for the deaf students education, as well as the need for basic and continuous training for student-teachers and teachers of a university to create learning environments in the context of bilingual education for deaf students, this report presents and analyzes a formative and collaborative proposal, developed within the scope of the Institutional Program of Initiation to Teaching Scholarship, Pibid in Brazil, of a working group that implemented immersion actions and educational practices with deaf students from a bilingual school in the city of Guarulhos. It was the group's objective that pedagogues, in their initial training process, understood implicit issues in teaching deaf students. In weekly meetings that took place at the university, the Pibid area coordinator, also a professor at the university, and the program supervisor, also a teacher at the bilingual school, organized training moments with student-teachers that involved theoretical and practical studies and interventions with deaf students. The formative proposal revealed that student-teachers began to problematize issues concerning the education of deaf students, surpassing the knowledge of linguistic specificities and approaching the particularities inherent to bilingual pedagogical practices.

Keywords: students deaf, bilingual education, teacher training

Biografia do Autor

Larissa Daniele de Jesus Coelho, Secretaria de Educação de Guarulhos 
(SE)

Especialização em Educação de Surdos
Faculdades XV de Agosto (FAQ)

Erica Aparecida Garrutti de Lourenço, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)

Doutorado em Educação
Universidade de São Paulo (USP)

Referências

Andre, M. (2016). Formar o professor pesquisador para um novo desenvolvimento profissional. In M. Andre (Org.), Práticas inovadoras na formação de professores, (pp.17-34). Editora Papirus.

Azzi, S. (2005). Trabalho docente: Autonomia didática e construção do saber pedagógico. In S. G. Pimenta et al. (Orgs.), Saberes pedagógicos e atividade docente, (4ª ed., pp.35-60). Editora Cortez.

Belinky, T. (1999). O grande rabanete (2ª ed.). Editora Moderna.

Borba, A. M. (2009). A brincadeira como experiência de cultura. In P. Corsino (Org.), Educação infantil: Cotidiano e políticas, (pp. 65-74). Autores Associados.

Decreto nº 5.626, de 23 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000.

Bufalo, J. M. P. (1999). O imprevisto previsto. Pro-Posições, 10(1).

Candau, V. M. (2013). Multiculturalismo e educação: Desafios para a prática pedagógica. In V. M. Candau (Org.), Multiculturalismo diferenças culturais e práticas pedagógicas, (pp. 13-38). Editora Vozes.

Garrutti-Lourenço, E. A. (2017). Contação de histórias para crianças ouvintes e surdas. In E. A. Garrutti-Lourenço (Coord.), Educação bilíngue para surdos, (pp.73-86). Editora Alameda.

Gesueli, Z. M. (2006). Lingua(gem) e identidade: A surdez em questão. Educação e sociedade, 27(94), 277-290.

Góes, M. C. R. (2002). Linguagem, surdez e educação, (3ª ed.). Autores Associados.

Kraemer, G. M. (2012). Identidade e cultura surda. In M. C. Lopes (Org.), Cultura surda e Libras (pp. 138-53). Editora Unisinos.

Lebedeff, T. B. (2017). O povo do olho: Uma discussão sobre a experiência visual e surdez. In T. B. Lebedeff (Org.), Letramento visual e surdez, (pp. 226-51). Editora Wak.

Lei n. 7.795, de 20 de dezembro de 2019 que dispõe sobre criação de Classes de Educação Bilíngue para Surdos na Rede Municipal de Ensino. https://www.guarulhos.sp.gov.br/07795lei.pdf.

Libâneo, J. C. (2002). Reflexividade e formação de professores: Outra oscilação do pensamento pedagógico brasileiro? In S. G. Pimenta & E. Ghedin (Org.), Professor reflexivo no Brasil: Gênese e crítica de um conceito, (2ª ed.). Editora Cortez.

Mendes, E. G. (2008). Caminhos da pesquisa sobre formação de professores para a inclusão escolar. In E. G. Mendes, M. A. Almeida & M. C. P. I. Hayashi (Orgs.), Temas em educação especial: Conhecimentos para fundamentar a prática, (pp. 92-112). Junqueira & Marin.

Pimenta, S. G., & Lima, M. S. L. (2010). Estágio e docência (5ª ed.). Editora Cortez.

Quadros, R. M. (2015). O “bi” em bilinguismo na educação de surdos. In A. C. B. Lodi, A. D. B. Melo & E. Fernandes (Orgs.), Letramento, bilinguismo e educação de surdos (pp. 187-200). Editora Mediação.

Slomski, V. G. (2019). Educação bilíngue para surdos: Concepções e implicações práticas (3ª ed. reimpr.). Editora Juruá.

Zeichner, K. (2010). Repensando as conexões entre a formação na universidade e as experiências de campo na formação de professores em faculdades e universidades. Educação, 35(3), 479-504.

Downloads

Publicado

18-09-2022

Como Citar

Coelho, L. D. de J., & Lourenço, E. A. G. de. (2022). Uma Atuação Colaborativa entre Escola e Universidade: A Experiência Formativa no Pibid em Turmas Bilíngues para Alunos Surdos. Revista Letra Magna, 18(30). Recuperado de https://ojs.ifsp.edu.br/index.php/magna/article/view/2147