História das Mulheres na Matemática

uma proposta para a sala de aula

  • Mateus de Souza Galvâo Rede Estadual de Ensino Básico, Petrolina, Pernambuco
  • Lucília Batista Dantas Pereira Universidade de Pernambuco

Resumo

O presente trabalho, fruto do resultado de uma pesquisa de mestrado, norteou-se pela seguinte problemática: como estudantes de uma Escola Pública de Petrolina-PE concebem a questão do gênero na Matemática e quais as contribuições advindas, para o ensino e a aprendizagem dessa matéria, de uma atividade teatral/curta-metragem sobre as mulheres que se destacaram no estudo de tal ciência? Para responder a tal questionamento, realizou-se uma pesquisa de caráter qualitativo, em que foi proposta uma atividade composta de duas etapas para serem realizadas pelos estudantes: a primeira requeria que os estudantes realizassem uma pesquisa e produzissem um roteiro sobre a vida e a obra de uma mulher matemática, e a segunda, que apresentassem os resultados da pesquisa em forma de teatro em sala de aula ou por meio de um curta-metragem. Além da atividade mencionada, aplicou-se um questionário para a coleta de algumas informações relacionadas com a atividade desenvolvida pelos estudantes e com a percepção que eles tinham sobre a participação das mulheres na Matemática. Com isso, pôde-se concluir que tal atividade possibilitou que os estudantes tivessem contato com os desafios que foram enfrentados pelas mulheres em sua época para que pudessem produzir conhecimento científico, além de poderem estudar as obras desenvolvidas por elas, aguçando, assim, sua curiosidade, pois, como relatado nos questionários, a proposta de uma atividade teatral/curta-metragem, envolvendo as mulheres matemáticas, configurou-se como uma opção viável para ser aplicada em sala de aula.

Referências

BERNARDES, A. Uma Proposta para Integrar a História da Matemática ao Ensino de Matemática: história das matrizes e as regras do discurso matemático. Hipátia, v. 4, n. 1, p.84-101, 2019.

BERTOTTI, T. Mulheres na ciência: a história de Mary Somerville. SoCientífica, 2017. Disponível em: <https://socientifica.com.br/2017/03/08/mulheres-na-ciencia-historia-de-mary-somerville/>. Acesso em: 26 de junho de 2019.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. Ciências Humanas e suas Tecnologias. Ensino Médio. Brasília: MEC/SEF, 2000.

CARTAXO, C. O Ensino das Artes Cênicas na Escola Fundamental e Média. João Pessoa: Editora da UFPB, 2001.

CARVALHO, M. G.; CASAGRANDE, L. S. Mulheres e ciência: desafios e conquistas. INTER thesis: Revista Internacional Interdisciplinar, v. 8, n. 2, p.20-35, 2011.

CASAGRANDE, L. S. et al. Mulher e ciência: uma relação possível? Cadernos de Gênero e Tecnologia, v. 1, n. 4, p.31-45, 2005.

D’AMBROSIO, U. Educação matemática: da teoria à prática. Campinas: Papirus, 2012.

EVES, H. Introdução à história da Matemática. Campinas: UNICAMP, 2004.

FERNANDEZ, C. S.; AMARAL, A. M. L. F.; VIANA, I. V. A história de Hipátia e de muitas outras matemáticas. 1. ed. Rio de Janeiro: SBM, 2019.

FRANSOLIN, J. B. L.; SOUZA, R. B. A História da Matemática numa perspectiva para a formação humana dos futuros professores de matemática. Hipátia, São Paulo, v. 4, n. 1, p.62-83, 2019.

GARBI, G. G. A Rainha das Ciências: um passeio histórico pelo maravilhoso mundo da matemática. 5. ed rev. e ampl. São Paulo: Livraria da Física, 2010.

GASPERI, W. N. H.; PACHECO, E. R. A História da Matemática como Instrumento para a interdisciplinaridade na Educação Básica. Curitiba: SEED-PR, 2011.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GIL, A. Projetos de pesquisa. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1996.

HALL, N.; JONES, M.; JONES, G. A vida e o trabalho de Sophie Germain. Gazeta de Matemática, n. 146, jan., 2004.

IGNOTOFSKY, R. As cientistas: 50 mulheres que mudaram o mundo. Tradução de Sonia Algusto. São Paulo: Blucher, 2017.

JIMÉNEZ, M. A. S. Teano y la ciencia pitagórica. Revista de divulgación científica y tecnológica de la Universidad Veracruzana, vol. XXIII, n. 2, 2010.

MAIA, C. M.; SAD, L. A. Aulas de História como palco para interações com a Matemática e Ciências: um espaço de construções do pensar crítico. In: ENCONTRO BRASILEIRO DE ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 19., 2015, Juiz de Fora. Anais.... Juiz de Fora, 2015.

MARTINS, M. C. Maria Gaetana Agnesi: a matemática que se dedicou aos desfavorecidos e doentes. Correi dos Açores, Mar. 2015. Disponível em: https://repositorio.uac.pt/bitstream/10400.3/3591/1/Agnesi(jornal)-12-3-2015.pdf. Acesso em 10 de julho de 2019.

MELO, C. I. B. Relações de gênero na matemática: o processo histórico-social de afastamento das mulheres e algumas bravastransgressoras. Revista Ártemis, v. 24, n. 1, p.189, 2017.

MENDES; I. A.; CHAQUIAM, M. História nas aulas de Matemática: fundamentos e sugestões didáticas para professores. Belém: SBHMat, 2016.

MIGUEL, A.; MIORIM, A História na Educação Matemática. Propostas e Desafios. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

MIGUEL, A.; MIORIM, M. A. História na Educação Matemática: propostas e desafios. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.

MONTENEGRO, B.; FEITAS, A. L. P.; MAGALÃES, P.J. C.; SANTOS A. A.; VALE, M. R. O papel do teatro na divulgação científica: A experiência da Seara da Ciência. Revista Ciência e Cultura, v. 57, n. 4, São Paulo, 2005.

MORAIS FILHO, D. C. As Mulheres na Matemática. Revista do Professor de Matemática. Rio de Janeiro, n. 30, 1º quadrimestre de 1996.

PASQUALE JUNIOR, M. L. D.; GRACILIANO, E. C. Teatro uma alternativa ao ensino de conteúdos de história da matemática. In: ENCONTRO PARANAENSE DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 14., 2017, Cascavel. Anais... Cascavel, 2017.

PAVIS, P. Dicionário de teatro. São Paulo: Perspectiva, 2008.

PERNAMBUCO. Parâmetros curriculares para a Educação Básica do Estado de Pernambuco – Concepções. 2012.

POLIGICCHIO, A. G. Teatro: Materialização da Narrativa Matemática. 2011. 148 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

SANTOMÉ, J. T. As culturas negadas e silenciadas no currículo. In: SILVA, Tomaz Tadeu da (Ed.). Alienígenas na sala de aula: uma introdução aos estudos culturais em educação. Petrópolis: Vozes, 1995.

SILVA, A. P.; FERREIRA, A. C. Matemática na Arte: utilizando o potencial pedagógico da História da Matemática no ensino de geometria para alunos da escola básica. In: ENCONTRO BRASILEIRO DE ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 15., 2011, Campina Grande. Anais... Campina Grande, 2011. p.1-11.

SILVA, E. R.; MIRANDA, T. L. A investigação em história da matemática. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE HISTÓRIA DA MATEMÁTICA, 10., 2013, São Paulo. Anais... São Paulo: 2013. p.1 -10.

SINGH, S. O Último Teorema de Fermat. 1. ed. Rio de Janeiro: Record, 2014.

SIQUEIRA, R. A. N. Aprender matemática jogando. In: PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Superintendência de Educação. Os desafios da escola pública paranaense na perspectiva do professor PDE: Produções didático-pedagógicas, 2013. Ponta Grossa: SEED/PR,2013. v.2. (Cadernos PDE).

SOUZA, M. C. R. F; FONSECA, M. C. F. R. Relações de gênero, Educação Matemática e discurso: enunciados sobre mulheres, homens e matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

VASCONCELOS, J. M.; LEITE, B. P. B; MACEDO, L. M. S. A atuação das mulheres no universo da matemática: o caso da Universidade Regional do Cariri – URCA. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS “HISTÓRIA, SOCIEDADE E EDUCAÇÃO NO BRASIL”, 9., 2012, João Pessoa. Anais... João Pessoa, 2012.

Publicado
2021-05-02
Seção
Artigos