Etonamatemática Indígena

uma análise documental dos artigos publicados no periódico Bolema

Resumo

Esta pesquisa tem cunho qualitativo, e tem como objetivo apresentar um estudo em que buscamos identificar, evidenciar e compreender as principais tendências das pesquisas que envolvem a Etnomatemática Indígena, publicadas na revista Boletim de Educação Matemática (Bolema), considerada uma das principais revistas da área de Educação Matemática, perfazendo o período de 1985, quando tiveram início as atividades da revista, até abril de 2019. Para selecionarmos os artigos, buscamos, em cada edição, fazer a leitura dos títulos dos artigos e, quando necessário, suas palavras-chave e resumos. Ao fim desse processo, encontramos doze artigos, os quais, a partir de nossa análise, foram subdivididos em quatro eixos: especificidades da cultura indígena; atividades didáticas; formação de professores; e cultura indígena e Educação Matemática. Podemos observar que, após o primeiro trabalho publicado na revista Bolema dentro da temática aqui investigada, encontramos um espaço de tempo grande até outra publicação que se enquadrasse na pesquisa, pois se passaram quase dezesseis anos para encontrarmos outro trabalho publicado envolvendo a Etnomatemática Indígena. Observamos também que, apesar da pouca quantidade de trabalhos encontrados, eles não têm predominância em uma categoria específica; eles estão divididos igualmente dentro das categorias, o que nos mostra uma diversidade de assuntos trabalhados dentro das categorias. Por fim, destacamos a importância da Etnomatemática como uma forma de compreender melhor a Matemática, visto que ela pode ser considerada como geradora de novas ideias surgidas de diversas culturas, além de possuir o papel de expandir os horizontes acerca da própria Matemática.

Referências

ARAÚJO, A. A. Análisis a una Figura Tradicional de las Mochilas Arhuacas. Comunidad Indígena Arhuaca. Sierra Nevada de Santa Marta, Colombia. Bolema, Rio Claro, SP, v. 21, n. 30, p. 163-180, 2008.

AROCA, A.; CAUTY, A. Dificultades Metodológicas en la Investigación sobre Pensamiento Matemático Indígena y su Paradójica Educación Matemática. Bolema, Rio Claro, SP, v. 31, n. 58, p. 841-860, 2017.

BERNARDI, L. S.; CALDEIRA, A. D. Educação Matemática na Escola Indígena sob uma Abordagem Crítica. Bolema, Rio Claro, SP, v. 26, n. 42B, p. 409-431, 2012.

BRITO, R. P. S.; FONSECA, M. C. F. R. Apropriação de Práticas Discursivas da Matemática Escolar: considerações a partir de uma experiência de formação intelectual de educadores indígenas. Bolema, Rio Claro, SP, v. 31, n. 58, p. 542-536, 2017.

COSTA, B. J. F.; TENÓRIO, T.; TENÓRIO, A. A Educação Matemática no Contexto da Etnomátematica Indígena Xavante: um jogo de probabilidade condicional. Bolema, Rio Claro, SP, v. 28, n. 50, p. 1095-1116, 2014.

COSTA, W. N. G.; DOMINGUES, K. C. M. Educação Matemática, Multiculturalismo e Preconceito: que homem é tomado como medida de todos os outros? Bolema, Rio Claro, SP, v. 19, n. 25, p. 45-69, 2006.

D'AMBROSIO, U. Socio-Cultural Bases for Mathematical Education. In: ICME, 5, 1984. Proceedings... Adelaide, 1984.

D’AMBROSIO, U. Ethnomatematics and its Place in the History and Pedagogy of Mathematics. For the Learning of Mathematics, Fredericton, Canada, v.5, n.1, 1985.

D’AMBROSIO, U. Etnomatemática: elo entre as tradições e a modernidade. 4. ed. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2011. 109 p., il. (Tendências em educação matemática).

D’AMBROSIO, U. O Programa Etnomatemática e a Crise da Civilização. Hipátia: Revista Brasileira de História, Educação e Matemática, São Paulo, SP, v.4, n.1, p. 16-25, 2019.

KNIJNIK, G. Currículo, cultura e saberes na Educação Matemática de jovens e adultos. In: ANPED SUL, 5, V Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul, 2004, Curitiba/PR. CDROM. Anais... Curitiba/PR: Pontifícia Universidade Católica do Paraná, 2004.

KNIJNIK, G. Exclusão e Resistência: educação matemática e legitimidade cultural. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

FILHO, J. S. Bolema, Rio Claro, SP, v. 29, n. 53, p. 845-866, 2015.

GERDES, P. Sobre Aritmética e Ornamentação Geométrica: análise de alguns cestos de índios do Brasil. Bolema, Rio Claro, SP, v. 4, n. ESPECIAL 1, p. 11-34, 1989.

GOLDENBERG, M. Arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em Ciências Sociais. 7. ed. Rio de Janeiro: Record, 1999.

LÜBECK, M. Utopia e esperança: do mito da terra sem males à educação etnomatemática. 2013. 185 f. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2013.

MATTOS, J.R.L. (Org). Etnomatemática: saberes do campo. Curitiba, PR: Ed. CRV, 2016. 166p.

MIARKA, R. Etnomatemática: do ôntico ao ontológico. 2011. 427 f. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2011.

MONTEIRO, H. S. R. O ensino de matemática na educação indígena: (im)possibilidades de tradução. 2016, 173 f. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2016.

PEDRAZA, E. B. Códice Florentino y Pensamiento Matemático. Cultura Otomí en el Valle del Mezquital. Bolema, Rio Claro, SP, v. 18, n. 23, p. 59-77, 2005.

RODRIGUES, M.; FERREIRA, R.; DOMITE, M. C. S. A Formação de Professores e suas Relações com Cultura e Sociedade: a educação escolar indígena no centro das atenções. Bolema, Rio Claro, SP, v. 22, n. 34, p. 263-282, 2009.

SÁ-SILVA, J. R.; ALMEIDA, C. D.; GUINDANI, J. F. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, Santa Vitória do Palmar, RS, v. 1, n. 1, p. 1-15, 2009.

SILVA, A. A. Os artefatos e mentefatos nos ritos e cerimônias do danhono: por dentro do octógono sociocultural A’uwe/Xavante. 2013, 348 f. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Rio Claro, 2013.

SILVA, C. M. S.; SAD, L. A. Avaliação em Matemática no Contexto da Educação Indígena. Bolema, Rio Claro, SP, v. 22, n. 33, p. 169-188, 2009.

SILVA, S. F.; CALDEIRA, A. D. Etnomatemática do Sistema de Contagem Grarani das Aldeias Itaty, do Morro dos Cavalos, e M´Biguaçu. Bolema, Rio Claro, SP, v. 30, n. 56, p. 992-1013, 2016.

SKOVSMOSE. O. Foreground dos educandos e a política de obstáculos para aprendizagem. Etnomatemática: São Paulo: Zouk, 2004.

Publicado
2020-12-31
Seção
Iniciação Científica