PROPOSTA DE CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL NA REDE PÚBLICA DE ENSINO

Resumo

Esta pesquisa envolveu a proposta de um Curso de Formação Continuada em Educação Especial para professores das salas de recursos multifuncionais e das salas regulares da rede municipal de ensino, dentre outros profissionais, do município de São José do Vale do Rio Preto/RJ. O objetivo foi contribuir para a mudança do olhar docente e de sua prática profissional de atendimento educacional especializado, buscando introduzir conhecimentos que pudessem auxiliá-los, como forma de avançar na política de educação inclusiva. O curso consistiu de 8 módulos temáticos com encontros presenciais e à distância, escolhidos com base nas demandas do município. Os resultados dos questionários de avaliação do curso mostraram que a experiência foi de grande relevância e uma oportunidade de mudanças e progressos. Os conhecimentos teóricos e práticos discutidos de forma coletiva foram oportunos, possibilitando o surgimento de metodologias apropriadas, uso de tecnologias assistivas e melhoria do atendimento aos estudantes.

Biografia do Autor

Claudia de Lima Ribeiro, Universidade Federal Fluminense
Mestre em Diversidade e Inclusão pelo Curso de Mestrado Profissional em Diversidade e Inclusão / UFF
Cristina Maria Carvalho Delou, Universidade Federal Fluminense

Orientadora do Curso de Mestrado Profissional em Diversidade Inclusão / UFF
Diretora da Escola de Inclusão / UFF

Manuel Gustavo Leitão Ribeiro, Universidade Federal Fluminense
Orientador do Curso de Mestrado Profissional em Diversidade Inclusão / UFF
Professor Associado do Departamento de Biologia Celular e Molecular, Instituto de Biologia / UFF

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Programa Educação Inclusiva: direito à diversidade. Brasília, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, 2008.

BRASIL. Decreto nº 7.611, de 17 de Novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Brasília, 2011.

IBIAPINA, I.M.L.M. Pesquisa colaborativa: investigação, formação e produção de conhecimentos. Brasília DF: Líber Livro Editora, 2008.

IMBERNÓN, F. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 2010.

JORGE, N.M.; PEREIRA, P.S. Formação continuada de professores de Matemática e a pesquisa colaborativa. Crítica Educativa, v.3, n.2, p.159-172, 2017.

LIKERT, R. A Technique for the Measurement of Attitudes. Archives of Psychology, v.22, n.140, p.5-55, 1932.

NÓVOA, A. Formação de Professores e Profissão Docente. In: NÓVOA, A. (Org.). Os Professores e a Sua Formação. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

PERRENOUD, P. Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre: Artmed, 2000.

UNESCO. Declaração de Salamanca sobre princípios, políticas e práticas na área das necessidades educativas especiais. Conferência Mundial de Educação Especial. Salamanca, Espanha, 1994.

UNESCO. Declaração de Incheon. Educação 2030: rumo a uma educação de qualidade inclusiva e equitativa e à educação ao longo da vida para todos. Incheon, Coréia do Sul: UNESCO, 2015.

Publicado
2019-05-06