Diálogos sobre artes, ciências e tecnologias educacionais em uma abordagem do conceito de tempo

  • Davilson Limberg

Resumo

A proposta deste trabalho é apresentar os principais resultados de uma oficina realizada no III Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica na qual foi desenvolvida uma atividade didática abordando o conceito de tempo uma perspectiva cultural e buscando apresentar as relações entre ciências e artes. A oficina foi elaborada com atividades que propõem trabalhar o conceito de tempo a partir de relações do conhecimento físico com as linguagens artísticas. O objetivo da pesquisa é mapear as concepções sobre o conceito de tempo presentes nas manifestações artísticas. Os dados foram coletados a partir das manifestações de vinte participantes da oficina, divididos em quatro grupos de cinco participantes. A análise de dados está fundamentada na obra epistemologia “A Filosofia do Não”de Gaston Bachelard. Com base na análise das manifestações artísticas dos participantes pudemos observar a dispersão de suas concepções ao longo de um perfil epistemológico.


Referências

BACHELARD, G.. A filosofia do não. Tradução. J. J. M. Ramos. São Paulo: Abril Cultural, 1978. (Os pensadores)

CARROLL, L.. Alice no país das maravilhas. Porto Alegre: L&PM, 1998. 172p

FREIRE, P.. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 26. ed., Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996. 146p.

MARTINS, A. F. P.. Tempo físico: a construção de um conceito. Natal: Editora da UFRN, 2007, 268p.

NASCIMENTO, A. M.. Reflexões sobre o tempo no cotidiano da educação infantil. Vertentes (São João Del-Rei), v. 31, p. 110-117, 2008.

ZANETIC, J.. Física também é cultura. 252f. 1989. Tese (Doutorado em Ensino), Instituto de Física, Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1989.

Publicado
2019-05-06