Os caminhos que contribuíram para a queda do analfabetismo no Brasil

  • José Alex Trajano dos Santos Associação Comunitária Educacional Cícera Tereza dos Santos (ACECTS), Mauá/SP

Resumo

Com um grande contingente de pessoas analfabetas e sendo motivo de vergonha alheia perante organizações mundiais e países desenvolvidos, a primeira metade no século XX foi crucial para a Educação de Jovens e Adultos, pois ocorreu a criação das primeiras ações e políticas educacionais no país, voltadas ao referido público, com o objetivo de erradicar o analfabetismo e ofertar o acesso à escolarização para jovens e adultos, bem como possibilitar sua inserção na sociedade e qualificá-los para o mercado de trabalho. Tais ações foram impulsionadas pelas lutas e reinvindicações da sociedade civil e grupos populares. O objetivo deste estudo é investigar algumas das ações criadas ao longo dos anos no Brasil para combater o analfabetismo entre jovens e adultos (1947-2020). A Metodologia pautou-se em uma pesquisa bibliográfica com características descritivas, na qual foram consultadas fontes de literaturas, artigos científicos, Leis, revistas online, por meio de sites acadêmicos, com conteúdo concernentes ao tema, utilizando-se de trabalhos publicados nos últimos 64 anos, ou seja, entre 1956 e 2020 para a realização de uma análise crítica que abordasse a temática proposta, de forma descritiva.

Biografia do Autor

José Alex Trajano dos Santos, Associação Comunitária Educacional Cícera Tereza dos Santos (ACECTS), Mauá/SP

Doutor Honoris Causa em Educação (Centro Sarmathiano de Altos Estudos Filosóficos e Históricos/RJ). Especialista em Docência do Ensino Superior e Educação de Jovens e Adultos (Faculdade Venda Nova do Imigrante/FAVENI). Pedagogo (Centro Universitário Anhanguera de Santo André). Atualmente é presidente e professor alfabetizador da Associação Comunitária Educacional Cícera Tereza dos Santos. Membro do Conselho Municipal de Educação e Cultura de Mauá. Membro Fundador e atual Presidente da Academia Mauaense de Letras e Artes Paulo Freire/AMLAPF. Membro da Academia Internacional da União Cultural, titular da cadeira nº 80, cuja Patrona é a Professora Branca Alves de Lima. Comendador do Mérito Cívico e Cultural pela Sociedade Brasileira de Heráldica e Humanística. 

Publicado
2020-11-10
Seção
Artigos